segunda-feira, 23 de outubro de 2017

[3215] Visita de Leão Sacramento Monteiro a Lisboa

Leão Maria Tavares Rosado do Sacramento Monteiro era governador de Cabo Verde desde 1963. A 21 de Julho de 1968 (o seu mandato terminaria no ano seguinte), vem a Lisboa com a esposa (a senhora macaense que se vê nas imagens) e no dia 24 almoça no Palácio de Belém com o Presidente da República.

Já o disse, mas repito: a primeira vez que pisou tchom de Mindelo na qualidade de Governador, fê-lo entrando pela Capitania dos Portos (viera de barco da Praia, ao qual a lancha da Capitania o foi buscar), seguindo depois pela Rua da Praia de Bote. Como diz o outro, "eu estava lá e vi!".

Nascido em Nelas, Viseu (1920) e falecido na Parede, Cascais (2005), tinha ligações familiares em Cabo Verde, como sabemos.

Ver AQUI e AQUI

domingo, 22 de outubro de 2017

[3214] Vai um Falcão?


O anúncio é de um jornal cabo-verdiano de 1936. Mas surpresa, surpresa, é que os cigarrinhos ou ainda existem ou pelo menos em 2011 ainda existiam. Vejamos estes recortes da SCT, Sociedade Cabo-Verdiana de Tabacos, do seu Relatório e Contas desse ano:







[3213] Em 1961, andavam submarinos estrangeiros a rondar o Fogo... E a PIDE foi logo contar ao Chefe. Grandes coscuvilheiros...

Cá para mim, o comandante queria acender o cachimbo directamente no bulcón... Documento do arquivo de Salazar na Torre do Tombo.




[3212] Os Simentera e a sua excelente versão de "Tchapéu di padja"

Já era uma grande música cabo-verdiana e na versão dos Simentera parece ainda ter melhorado. Ouvi ao vivo em 1999 uma outra versão, pelas vozes do Orfeão dos Antigos Alunos da Universidade de Coimbra no Eden Park. Com eles, cantou como convidado especial o Ildo Lobo. Inesquecível!!! Para ouvir e ouvir e ouvir...


sábado, 21 de outubro de 2017

[3211] Um cónego amigo de Cabo Verde e da Guiné, um bom cristão, segundo parece

Endinheirado, o cónego Adriano Reimão de Serpa Pinto, capitular da Sé de Cabo Verde falecido no Porto, na hora da morte não se esqueceu das gentes menos afortunadas de Cabo Verde e da Guiné, por onde passou. O testamento é longo e a muita mais gente ele deixou prendas, mas só nos interessa a parte aqui divulgada.



[3210] Como legenda, apenas uma palavra: manha!...

[3209] 1968. Viagem do Presidente da República, Américo Thomaz, à Guiné e a Cabo Verde

São três fitas longas, nalguns casos com som, noutros, não. Há um resumo analítico por baixo de cada filme que deve ser lido, para se compreender melhor o que se vê. Isto é que vai ser recordar locais cunchide, mesmo para quem não esteve presente...

Ver 9.Fevereiro.1968, AQUI, 13, AQUI e 15, AQUI

[3208] Partida do Presidente da República, Américo Thomaz, para a viagem de 1968 à Guiné e a Cabo Verde

Pd'B lembra que, tal como o presente, filmes deste género muitas vezes não tinham som, pois eram destinados ao telejornal e por isso eram divulgados com voz off de locutores por cima do filme. Veremos alguns que até só têm som quando há aplausos ou vivas, em alturas de multidões. 

Nesta despedida, muitas caras de que ainda nos recordamos, do antigo regime, estão presentes: personalidades do Governo de Salazar (ele próprio também) e da Igreja. Talvez esta "actualidade"  (levada de avião, ao contrário de Américo Thomaz que foi de paquete) tenha sido vista no Eden Park, dias antes de o PR chegar às ilhas.

Ver AQUI

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

[3207] Nhô André, o "sargento da Armada" tocador de concertina...

A cartola foi talvez herdada de finório endinheirado da ilha. Mas o resto, decerto foi prenda de algum primeiro-sargento da Armada promovido a sargento-ajudante que não desejou manter a farda com marcas das divisas anteriores (que tinham de ser retiradas). Portanto, farda nova para o nosso sargento e fatiota de categoria para Nhô André. Nem mais. As medalhas, não imagino de onde terão vindo. Repare-se nas sandálias artesanais de um tipo que ainda conhecemos bem, em versão mais modernizada, com solas de pneu...

[3206] Foi lá por Junho de 1968. Esculturas de (madeira) de Leonel Warton (eventualmente Wahnon) Madeira no Grémio Recreativo do Mindelo

Eu não vi. Mas gostava de ter visto!!! Ou seja, gostava de ter visto os trabalhos em madeira, de Madeira... Leonel Madeira nasceu em 1916 e faleceu em 1995. Era natural da cidade da Praia,  Santiago.

[3205] A posse do governador Peixoto Correia

Filme mudo, de 17 de Outubro de 1957, onde se vê Raul Rodrigues Ventura (ver AQUI), ministro do Ultramar, a conferir posse ao comandante Peixoto Correia, no cargo de Governador de Cabo Verde. A propósito de o filme ser mudo, lembro que a televisão nasceu em Março de 1957, sendo portanto este um dos primeiros de reportagem que surgiram. Posteriormente, colocavam-lhe voz de locução em cima. Mas já vi alguns filmes da RTP (que oportunamente aqui observaremos) em que há som mas só de aplausos ou de vivas. Logo falaremos disso.

Ver AQUI

António Augusto Peixoto Correia nasceu em 1913, em Vila Nova de Gaia. Fez carreira militar como oficial da Armada, tendo atingido o posto de capitão-de-fragata em 1959. A cronologia seguinte é do arquivo do Parlamento de Portugal.

Carreira político-administrativa
 1955 – Governador do distrito da Huíla (Angola);
 Chefe de gabinete do Ministro do Ultramar;
 1957-1958 – Governador de Cabo Verde;
 1958-1962 – Governador da Guiné;
 1962-1965 – Ministro do Ultramar;
 1969-1970 – Chefe da 2.ª Repartição do Ministério da Defesa Nacional;
 1960-1970 – Vice-presidente do Conselho Ultramarino;
 Procurador à Câmara Corporativa, pela província da Guiné, como representante do comércio ultramarino (IX Legislatura) e das conservas das províncias ultramarinas (IX Legislatura). 

domingo, 15 de outubro de 2017

[3204] É já na próxima sexta-feira!...

TAP e TACV fazem ponte aérea com mindelenses a chegar de meia em meia hora a Lisboa para assitirem à palestra que sexta-feira pelas 15h30 terá lugar em Almada sobre escultura e humor, a proferir por conhecido conferencista são-vicentino.

Sabe-se que os hotéis da zona estão lotados a 100% e que muitas pessoas estão a deslocar-se para Setúbal e para a capital de Portugal (até para o Algarve e Marrocos, nalguns casos), na mira de obterem alojamento.

Encontram-se também já na margem sul do Tejo (rio que como se sabe desagua no Porto Grande) dezenas de equipas de imprensa escrita, rádio e televisão que irão fazer a cobertura do memorável acontecimento. Uma delas, da RTSL (Rádiotelevisão de Santa Luzia), veio expressamente dessa populosa ilha cabo-verdiana, sendo esta a sua primeira reportagem de exteriores.
Nha Marquinha, no seu lar habitual

ÚLTIMA HORA: Praia de Bote acaba de ser informado pelo nosso correspondente Djosa de nha Bia, também porteiro em part-time do condomínio-fechado 18-2/8  de São Vicente, que "Nha Marquinha", temida figura da ilha do Monte Cara, estará presente na palestra. 

Ao que parece, a senhora obteve alojamento no Cemitério dos Prazeres, onde se encontrará e poderá receber visitas e flores até ao dia da palestra, regressando depois à sua residência do Mindelo.


Desenho de Carlos Botelho (página "Ecos da Semana" do jornal "Sempre Fixe" de 3 de Abril de 1930), alusivo à colocação da estátua de Francisco dos Santos  "Lisboa reedificada" no monumento ao marquês de Pombal, então em construção. Este, só seria inaugurado em 13 de Maio de 1934. Quando ali se fala na "verdade", é piada de comparação com a "Verdade" do monumento também lisboeta a Eça de Queirós, do escultor Teixeira Lopes (1903), a figura feminina meio vestida/despida que se pode ver sob o busto do escritor de "Os Maias".

terça-feira, 10 de outubro de 2017

[3201] A cábrea do Porto Grande, essa velha senhora que ainda presta serviço na baía

Diz o Zeca Soares, em comentário ao post 3198: "Aproveitando agora esta deixa de cais acostável, lembrei-me de um elemento que foi fundamental na construção daqueles dois cais (Porto Grande e Porto Novo). Estou a falar da cábrea General João de Almeida. Seria bom que o Djack acrescentasse mais sobre este senhor pois ela ainda hoje, e apesar da idade avançada, continua a prestar o seu serviço na Baía do Porto Grande."

Para satisfazer o nosso amigo, fomos ao infindável baú do Pd'B (todos os dias ampliado com ofertas e aquisições) e demos com uma imagem da grande máquina, decisiva para a construção do cais acostável do Porto Grande (infelizmente má; ainda assim, mostra-a, no canto inferior esquerdo). 


















Mas temos mais: este programa que existe no nosso arquivo conta quase toda a história não só do cais de Santo Antão como do de São Vicente. A verdade (ali se informa) é que a cábrea flutuante tinha e tem uma capacidade de elevação de 60 toneladas. E querem saber quanto custou? 1800 contos, uma fortuna colossal para a época. Muitas mais coisas poderia contar, mas há mais que fazer e o tempo não chega para tudo. De modo que ficamo-nos com esta: no cais acostável do Porto Grande trabalharam diariamente 400 operários, todos portugueses, sendo que 90% deles eram cabo-verdianos...

Quanto ao nome de baptismo da cábrea, é o de um general do Exército que foi ministro das Colónias  e governador de Cabo Verde, durante o ano de 1927. Pode ver-se AQUI a sua biografia.

[3200] Ainda a inauguração do cais do Porto Novo, Santo Antão (ver post 3198)

Para que a coisa fique sedimentada, há que relembrar: o primeiro barco a atracar oficialmente no cais do Porto Novo foi o N/M "Ana Mafalda", da Sociedade Geral (Portugal), no dia 2 de Setembro de 1962, pelas 10h00. O NRP "Vouga" ficou ao largo. Meia hora depois, atracou o "Santo Antão", também da Sociedade Geral. Mistério para nós é saber os nomes dos dois outros barcos que atracaram a seguir e qual foi o terceiro e o quarto. Como se diz no programa, seguiram-se ao "Santo Antão" "duas unidades representativas das frotas de pesca e de pequena cabotagem". Arriscamos que o que representava a pequena cabotagem seria o "Carvalho", muito provável mas ainda assim duvidoso... Para rematar. aqui fica a planta do cais que já sofreu significativas melhorias mas no entanto tem 55 anos.


[3199] Concurso Praia de Bote: nova série

A primeira série do concurso do Praia de Bote compreendeu momentos altos e outros baixíssimos. Isto é, nalgumas vezes, grande e renhida participação: noutras, nenhuma. De qualquer modo, o saldo parece positivo e por isso vamos dar início a segunda série, terminada a primeira com um principal motivo: a desaparição do amigo sempre colaborante Zito Azevedo, perda nunca colmatada.

Assim, os três primeiros lugares foram para s seguintes participantes, sendo que nos casos do asterisco o número foi aumentado meio ponto (em ambos os casos havia já mais meio ponto nas classificações, resultantes de concursos semi-vencidos). Não podemos deixar de agradecer também ao Djosa Lopes, ao Fernando Frusoni, à Nita Ferreira, ao Val e ao Djosa Soares, as suas participações que animaram esta actividade concursal. Está dito, venha a segunda série...

1.º - Adriano M. Lima - 32*
2.º - Zito Azevedo - 15
3.º - Ondina Ferreira - 8*

[3198] Programa da inauguração do Porto Novo de Santo Antão

Ganhou o Zeca Soares, por uma unha negra ao Adriano, questão de minutos. Já lá tem o ponto no Hall of Fame. Em breve, organizaremos nova carreira de concursos, dado que esta já não tem razão de ser, devido ao desaparecimento de um dos mais persistentes e ganhadores concorrentes, o nosso amigo Zito Azevedo.



segunda-feira, 9 de outubro de 2017

[3197] Mais de três horas de Horácio Prateado. Para deixar a tocar, enquanto se faz qualquer outra coisa. Que outro blogue oferece maravilhas como esta? Hein?

[3196] Três barcos juntos serão um tribarco?

Num dia de 1962, estava o dono deste blogue a preparar-se para partir no mês seguinte para o Mindelo. Na mesma altura, estes barcos que aqui mostramos encontravam-se juntos, na mesma missão. Perguntamos aos três mosqueteiros, Adri, Val e Djosa (e também aos outros que nunca ou só raramente dão o ar da sua graça): que tarefa "cabo-verdiana barlaventista" tinha este terceto naval?



NRP Vouga (foto site Reserva Naval)

domingo, 8 de outubro de 2017

[3195] Cape Verdean Veterans Memorial Project (ver post anterior e post 3185)

Ver AQUI
São fotos. Vá passando devagar. Por vezes, parece que acabou e fica tudo escuro mas na verdade continua

[3194] Cape Verdean Veterans Memorial Project (ver post 3185)

[3193] Cesária Évora em "Crepuscular Solidão", de Teófilo Chantre (com Bonnie Raitt)

[3192] Crepúsculo, no cais da Alfândega, em São Vicente (c. anos 60 do séc. XX)


[3191] Que restará deste padrão que esteve junto ao Fortim d'El-Rei? (Não confundir com o padrão a Diogo Afonso, também destruído, situado perto deste)

Já degradado

Ainda mais degradado

[3190] De médico e de louco, todos temos um pouco... mas ser preso por isso?...

Ver AQUI

[3189] Poderes públicos surdos, surdos, surdos...

Ver AQUI

[3188] Cabo Verde diz que pode ser útil à OCDE. Ela que aceite, pois de facto pode ganhar com isso (e Cabo Verde também)

Ver AQUI

[3187] Mindelense, campeão de São Vicente em sub-19

[3186] Primeiro-ministro de Cabo Verde anuncia substituição de manuais escolares "doentes" (ver post 3183)

Praia de Bote riu-se da coisa que de facto era risível; agora, bate merecidas palmas! Quem reconhece erros, merece-as...
Ver AQUI e AQUI