segunda-feira, 30 de abril de 2018

[3750] Em Abril, no "Terra Nova", mais um texto sobre a adjacência de Cabo Verde a Portugal - que nunca se concretizou


[3749] Celebração do Dia do Trabalhador no "brown" de São Vicente

[3748] O mar de Cabo Verde

[3747] Cavalos de fogo, no Fogo. O regresso de uma gloriosa tradição

[3746] Obras clássicas do Mindelo (3) - O edifício da Capitania dos Portos, em construção, c. 1923

Imagem raríssima, talvez única, da construção do edifício da Capitania dos Portos de São Vicente. A foto é de autoria desconhecida mas quem no-la ofereceu foi o nosso amigo Artur Mendes (que a descobriu), ao qual se agradece esta "lança em África".

domingo, 29 de abril de 2018

[3745] Uma peça de luxo, das melhores que o Pd'B já apresentou: Cesária Évora canta Goran Bregović em "Tango of the Soul: Ausência"

[3744] Coitado do António Cândido Ferreira: alguém andava a roubar o vencimento do patrão-mor de São Vicente, por volta de 1858...

...mas a marosca chegou aos ouvidos do Rei e do seu ministro Sá da Bandeira.

Acerca deste patrão-mor, podemos ainda informar que foi nomeado em Abril de 1851 para o policiamento  do Porto Grande, conforme se pode ler no Boletim Oficial 63/1851, Portaria de 25 de Abril de 1851, citado por Francisca Gomes Pires, na sua recente dissertação para tese de mestrado "O Porto Grande e a Urbe Mindelense na Aurora da Contemporaneidade (1850-1914)", apresentada à Universidade Nova de Lisboa.

Pergunta o nosso colaborador e comentador encartado Adriano Lima, qual seria a equivalência ao euro destes 72$000 réis. Não consigo fazer a correspondência, mas sei quanto ganhava um patrão-mor em Agosto de 1962, como se pode ver pelo excerto da carta que um elemento da Armada que fazia serviço na Capitania e era seu amigo escreveu ao patrão-mor que estava para chegar a São Vicente e deteve o cargo nos anos de meados/finais de 1962 a final de 1965, pouco mais de um século após este episódio triste de desvio do ordenado do António Cândido Ferreira. Note-se que o patrão-mor dos anos 60 era de início segundo-sargento recente, promovido algum tempo depois a primeiro. Refira-se ainda que o cargo só podia ser preenchido por sargentos da especialidade de Manobra. Eis, então:

E sabem para que era o petróleo? Para os fogareiros Hipólito e para o frigorífico, pois claro...

sábado, 28 de abril de 2018

[3743] Saiu ontem, na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, a revista "Convocarte" n.º 3, em papel. Nela, pode ler-se o artigo de Joaquim Saial "Arte pública escultórica do período colonial em Cabo Verde"

Ontem, 28 de Abril de 2018, entre as 18 e as 20h00, foi lançado o n.º 5 (ainda online) da revista "Convocarte" da Faculdade de Belas Artes de Lisboa, no Auditório Lagoa Henriques daquela instituição universitária. Em simultâneo, foi posto à venda o n.º 3 (em papel), numa limitadíssima (e em breve rara) edição de 100 exemplares. Neste n.º 3, pode ler-se, entre muito material de grande interesse para quem se interessa pelas Ciências e História da Arte, o texto "Arte pública escultórica do período colonial em Cabo Verde", de Joaquim Saial, texto de 19 páginas que havia sido publicado em 2017, em fascículos, no jornal "Terra Nova", de Cabo Verde.

Como se compreende pelo texto acima, esta revista sai primeiramente online e no ano seguinte é lançada em papel, apenas para oferta aos autores, para distribuição por universidades e bibliotecas da especialidade, em Portugal e no estrangeiro, e para ir parar às prateleiras da biblioteca de um ou outro interessado que consegue ter acesso a ela.

Aqui ficam, portanto, sinais do evento de ontem e excertos do editorial e do artigo em causa. Quanto aos amigos do Pd'B (os que têm o bom hábito de colaborar com regularidade no blogue), esses já receberam os três textos que escrevemos na "Convocarte", incluído o da n.º 5, "Arte pública escultórica na Avenida da Liberdade, Lisboa: o que há, o que houve e o que foi havendo..." que só sairá em papel em 2019.

Apresentação da revista na FBAL


Editorial

Excerto do editorial


quinta-feira, 26 de abril de 2018

[3741] Foi no tempo de Filipe II de Portugal, III de Espanha

Concordo, concordo, acabava-se assim a bandalheira, a espanholada que vinha do Portugal ocupado, da Espanha e da colónia das Canárias a caminho da Guiné, tinha de parar em Cabo Verde para ali deixar umas "pesetas" (que só surgiram em 1869...), ahahahahaha


[3740] Manuel de Pina preside a reunião de Assembleia Geral e reunião de Conselho de Administração da OCPM

Manuel Pina preside a reunião de assembleia geral e reunião de Conselho de Administração da OCPM (Organização das Cidades Património Mundial). Por razões da morte de um familiar o presidente da OCPM não pôde participar e por isso Manuel Pina foi eleito entre os pares para presidir a reunião. 

Fazem parte ainda do Conselho de Administração da OCPM as cidades de Québec (Canadá), Angra de Heroísmo (Açores, Portugal), Bruxelas (Bélgica), São Miguel de Allende (México), Gyeongju (Correia de Sul), Quito (Equador) e Viena (Áustria).

O ponto alto da discussão do Conselho incidiu sobre a compra de um grande edifício em Québec por 2, 5 milhões de dólares, compra essa que o Conselho de Administração ainda não decidiu. 

Manuel Pina foi convidado ainda pelo Secretário Geral da OCPM para assumir o cargo de Vice-Presidente Tesoureiro da OCPM, mas declinou, deixando Angra de Heroísmo assumi-lo.

O regresso a Cabo Verde está revisto para amanhã, dia 27.

[3739] Para os cabo-verdianos que são do Benfica e também para os que são do Sporting, um cartoon do "Diário Popular" (Lisboa), da autoria de Stuart Carvalhais

quarta-feira, 25 de abril de 2018

[3738] Enfim!... Depois da tempestade, a bonança!

[3737] Cremilda Medina vence prémio “Best World Music” nos IPMA - International Portuguese Music Awards 2018 (ouvir música no post anterior)

Cremilda Medina é a primeira artista cabo-verdiana a conquistar o prémio “Best World Music” nos IPMA International Portuguese Music Awards que se realizam anualmente em New Bedford, Massachusetts nos Estados Unidos da América.

Cremilda estava nomeada nesta categoria com a música “Divôrce Um’ Ca Ta Sená”, composição que integra o seu primeiro álbum de nome “Folclore” que conta com 13 faixas musicais.

De recordar que na edição do ano passado dos IPMA, Cremilda Medina esteve nomeada na categoria de “Music Video of the Year”, com o seu primeiro single “Raio de Sol”, sendo que o prémio foi para Sandra Correia de Portugal com o tema “Coração Vadio”.

“Acabamos de vencer o prémio Best World Music nos International Portuguese Music Awards 2018 com a música "Divôrce Um' Ca Ta Sená” de Manuel d'Novas! É uma sensação única e uma imensa alegria ser merecedora deste reconhecimento internacional nos Estados Unidos da América. Esta música faz parte do álbum discográfico “Folclore”, um trabalho feito com muito amor e muito profissionalismo!

Obrigada de coração a todos aqueles que me têm apoiado nesta caminhada e a todos aqueles que acreditam em mim e neste projecto! Nos música, nos tradiçon, muito obrigada”, disse Cremilda quando anunciou esta conquista através da sua página oficial do facebook.

A edição deste ano dos IPMA aconteceu este fim de semana premiou também o artista Cabo Verdiano Grace Évora que estava nomeado em três categorias do IPMA, ou seja, Pop com o tema “Circunstância”, World Music com o tema “Bo Vice” e categoria “Azores Airlines People's Choic” também com o tema “Bo Vice” que acabou por vencer.

De salientar que o álbum “Folclore” já mereceu também 4 nomeações nacionais nos CVMA Cabo Verde Music Awards deste ano, onde Cremilda está nomeada nas categorias de “Artista Revelação”, “Melhor Interprete Feminino”, “Melhor Morna” com a música “Sonho dum Criola” de Morgadinho (sublinhado do Pd'B, com um braça para o nosso amigo Morgadinho) e “Melhor Coladeira” com a tema vencedor dos IPMA “Divôrce Um’ Ca Ta Sená”

[3736] Cremilda Medina - "Divôrce um' ca ta Sená"

[3735] Quatro anos depois, uma ainda interessante entrevista do Presidente de República de Cabo Verde sobre o 25 de Abril

sexta-feira, 20 de abril de 2018

[3734] Um abraço para o Nuno Rebocho

Isto não adianta nada, mas é um desabafo que sabe bem (o que de qualquer modo sempre é alguma coisa): viva o Nuno, que está a passar por um sobressalto de saúde na Praia e que a recuperação seja efectiva e rápida.

Logo que soubermos mais notícias do que aquelas poucas que nos chegaram, daremos conta delas, por email, aos nossos amigos que no blogue se têm manifestado acerca deste assunto.

[3733] Fábrica portuguesa de sapatos continua a investir em São Vicente

 

[3732] José Mário Branco, homenagem no Mindelo

Ver AQUI

[3731] "Hit the road Jack!" Ray Charles e as Raelettes cantam para o dono deste blogue...

[3730] Ao que chegaram as coisas, no São Vicente de 1856. Era o tempo do "salve-se quem puder", incluindo as autoridades. O que valeu foi que mandaram vir o major Onofre... hum!

quinta-feira, 19 de abril de 2018

[3729] José Mário Branco - "Margem de certa maneira"

Para comemorar a presença de José Mário Branco em Cabo Verde, Pd'B relembra AQUI uma das suas mais celebradas peças, "Margem de certa maneira", música do álbum homónimo, de 1972.

[3728] José Mário Branco em Cabo Verde

Ele foi um dos nossos heróis (e ainda o é), a par de José Afonso, Fausto, Adriano Correia de Oliveira e Sérgio Godinho, o quinteto dos maiores, mais completos, mais profundos, mais combativos e mais persistentes. E está em Cabo Verde. Aceitam-se inscrições para uma excursão... mental, às ilhas.


terça-feira, 17 de abril de 2018

[3726] Mais uma doutora cabo-verdiana

Foi ontem, no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, a partir das 14h30, que se iniciou a discussão da tese de doutoramento da nossa amiga Maria do Carmo Farias Daun e Lorena Santos, subordinada ao tema "Classe, memória e identidade: uma etnografia do carnaval de São Vicente". O acto académico terminou da melhor maneira, com "distinção e louvor", pelo que o Praia de Bote apresenta as suas mais sentidas felicitações e "quel braça d'ratchá osse" à nossa comentadora e nova doutora das ilhas. Mais uma vez, temos de gritar a plenos pulmões, como se fosse na escola da Praça Nova, na escola Camões ou no Liceu Gil Eanes: "Viva quel bôl, viva quel vin".

Cabe ainda dizer que a nova doutora teve como orientador da sua tese o Dr. João Manuel Monteiro de Castro Vasconcelos, como presidente do júri a Dr.ª Ana Margarida de Seabra Nunes de Almeida e como vogais os doutores António Leão de Aguiar Cardoso Correia e Silva (prestigiado académico cabo-verdiano, natural de Ponta do Sol, Santo Antão, antigo reitor da Universidade de Cabo Verde), Miguel de Matos Castanheira do Vale de Almeida, Maria Celeste Gomes Rogado Quintino, João Manuel Monteiro de Castro Vasconcelos e Nuno Miguel Rodrigues Domingos.

[3725] Histórias da História de Santiago




segunda-feira, 16 de abril de 2018

[3724] UCCLA promove VIII Encontro de Escritores de Língua Portuguesa em Cabo Verde


A UNICV - Universidade de Cabo Verde (sita no Palmarejo, cidade da Praia) vai acolher, de 19 a 21 de abril, a 8.ª edição do Encontro de Escritores de Língua Portuguesa - evento em torno da língua portuguesa que contribui para o diálogo e o enriquecimento entre os escritores dos diferentes continentes - organizado pela UCCLA e pela Câmara Municipal da Praia.

Este encontro tem como tema principal “A Cidade e a Literatura: conexões entre Cidadania, Criatividade e Juventude” e 3 subtemas: “A Literatura e Cidadania”, “A Literatura e Criatividade” e “A Literatura e a Juventude”.

Estão já confirmadas as presenças dos seguintes escritores:

- Angola: David Capelenguela
- Cabo Verde: Fátima Fernandes, Hermínia Curado, Joaquim Arena, Jorge Carlos Fonseca, Jorge Tolentino, Judite Nascimento, Leão Lopes, Manuel Brito Semedo, Natacha Magalhães e Nuno Rebocho
- Galiza: Concha Rousia
- Guiné-Bissau: Tony Tcheka
- Macau: Weimin Zhang
- Moçambique: Conceição Queiroz 
- Portugal: Filipa Melo, Inês Barata Raposo e José Carlos Vasconcelos
- São Tomé e Príncipe: Olinda Beja
- Timor-Leste: Luís Costa

Brochura com programa disponível em https://issuu.com/uccla/docs/brochura_online_viii_eelp_cabo_verd

De salientar que as anteriores edições decorreram na cidade de Natal (Brasil - 4), em Luanda (Angola - 1) e na cidade da Praia (Cabo Verde - 2). 

Já participaram mais de 100 escritores, entre os quais escritores consagrados pelos principais prémios literários das literaturas escritas em Língua Portuguesa - incluindo 5 prémios Camões: Arménio Vieira, Eduardo Lourenço, João Ubaldo Ribeiro, Pepetela e Mia Couto -, mas também escritoras e escritores de diferentes gerações e tradições literárias.

[3723] Uma voz de sempre: Fernando Quejas, em "Câ nô dixâ nôs morna morrê"

[3722] Semana Nacional do Património Cultural com palestra na Torre de Belém (antiga Capitania dos Portos, hoje Museu do Mar)


[3721] Muitas visitas de Cabo Verde

Nas últimas 24 horas, o Pd'B recebeu muitas visitas de Cabo Verde. Não falaram (excepto o Zeca Soares), mas viram... Assinaladas apenas as dos 10 países com mais visitas. Claro que houve muitas mais, de países com uma ou duas visitas.

[3720] Quanto em São Vicente havia DE FACTO forças vivas que espicaçavam o Governo de Lisboa, os resultados surgiam. E então tendo nele um amigo, ainda melhor...

António Maria de Fontes Perira de Mello (ver AQUI), foi filho de um governador de Cabo Verde (João de Fontes Pereira de Mello, por duas vezes, 1839-1842 e 1847-1851) e ele próprio ajudante de seu pai e depois deputado por Cabo Verde. Foi casado com uma cabo-verdiana.