quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

[0331] Djosa (antigo estudante no Mindelo) expõe em Ponte de Sor (Portugal) e Pontedera (Itália)

Enviado para PRAIA DE BOTE pelo gabinete de imprensa do festival Sete Sóis Sete Luas

A ARTE QUE FALA DE TODOS PARA TODOS

A indisfarçável força telúrica das telas cheias de cores do artista cabo-verdiano Djosa viajaram, através da Rede dos Centrum Sete Sóis Sete Luas, em Ponte de Sor (Portugal), onde encerrou a programação artística de 2012, e em Pontedera (Itália), onde abriu a programação de 2013.

“Criôlo” é o titulo da exposição apresentada nos dois Centrum SSSL e que tanto interessou o público e os estudantes das escolas italianas e portuguesas. As cores intensas, as formas tão redondas e as criaturas tão comprimidas são os elementos que mais maravilharam os alunos que participaram nos laboratórios de criatividade em Pontedera e em Ponte de Sor. “Pinto com estas cores tão acesas talvez porque, a nível subconsciente, quero compensar a igualdade de cores que há em Cabo Verde” responde o artista aos estudantes das escolas de Pontedera. E trata de lhes explicar que a compressão dos corpos deve-se ao sofrimento, a luta que o povo cabo-verdiano quotidianamente afronta pela vida.

Em particular na Itália, em Pontedera, onde a exposição foi inaugurada no dia 26 de Janeiro e está patente até dia 23 de Fevereiro, os estudantes manifestaram uma grande curiosidade em descobrir a cultura, a história e a economia de Cabo Verde. “Faz-me ouvir o som do Crioulo” foi a pergunta dos miúdos do Istituto Fermi de Pontedera.

Os desenhos feitos a bico de pena ou a lápis de Djosa representam a vida quotidiana, a cultura espiritual e histórica cabo-vediana e o subtil erotismo que acompanha o ser humano. A arte plástica, falando contemporaneamente de temas universais e das características particulares de um povo, chega a ser – e a exposição de Djosa é um exemplo concreto – um forte instrumento de comunicação intercultural e de aproximação entre as pessoas. E uma arte que fala de todos para todos.

Djosa é um pintor viajante dividido entre a sua pátria, Cabo Verde, e o país de adoção, o Brasil. Nasce na ilha de S. Nicolau e fez os seus estudos secundários em S. Vicente, mas nos anos 60 emigra para o Brasil, onde estuda na Escola de Arquitectura e Urbanismo em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Participa em muitos projetos de Arquitectura e Urbanismo tanto no Brasil – com destaque para a cidade de Belém, capital do Pará – como em Cabo Verde. Djosa vive atualmente na Cidade da Praia, dividindo o seu tempo entre trabalhos de arquitetura, pintura e desenho. Já participou em várias exposições individuais e colectivas tanto no Brasil como em Cabo Verde e com o Festival SSSL expôs pela primeira vez em Portugal e em Itália.

1 comentário:

  1. Interessante conhecer este artista. Pela idade, em princípio devia conhecê-lo, mas não me recordo da pessoa. As minhas felicitações para o Djosa.

    ResponderEliminar