domingo, 24 de fevereiro de 2013

[0370] Preciosismos cinéfilos

Ora vejamos...

Comecemos pelo cinema da Praça Nova. Numa foto da Wikipedia, da autoria de Manuel de Sousa, temos o nome no topo do edifício, grafado como EDEN PARK. Mais abaixo, o logótipo apresenta um "E" e um "P" ao estilo do emblema da Académica. EDEN PARK, portanto. Mas... em bilhetes que o PRAIA DE BOTE possui, um dos quais se reproduz, o nome surge como CINE EDEN-PARK, com hífen. Confusão irresolúvel, que só seria possível resolver com recurso à documentação de registo da casa algures enterrada numa repartição do Mindelo ou em cópia nas mãos dos familiares dos antigos proprietários. Até nova ordem, parece-nos que a versão EDEN PARK será a mais correcta, embora SEMPRE sem acento agudo no "E" inicial,  como por vezes surge, dado que é palavra inglesa.

 

Passemos agora ao cinema do Sr. Guilhereme "Tuta" Melo, mais popular que o Eden Park mas não menos saudoso nem de menores tradições cinéfilas que aquele. Servimo-nos aqui de dois programas obtidos na Internet, em A Semana e no blogue do nosso amigo Brito-Semedo. O cinema é designado por PARQUE MIRA-MAR o que é bem aborrecido para quem como nós já escreveu a expressão como "Park Miramar"...


E assim se acaba a história, sem vencedores nem vencidos - que todos falhámos, uns menos que os outros. O que não falhou, excepto pela incúria e desprezo de alguns, foram as lições que recebemos naquelas duas casas de cultura nem os projécteis de cimbrom e de amendoins que os que estavam mais à frente na geral comiam na tola atirados pelos que se encontravam atrás... Obrigado aos que partiparam e um braça cinéfilo para todos. Ou, se preferirem, um murro à John Wayne...

2 comentários:

  1. Cabe dizer, a bem da justiça "responditiva", que o Zito foi o que mais se aproximou da verdade nominal.

    ResponderEliminar
  2. Já agora, uma pequena adenda para recordar a estreia de Segredo de Um Coração Culpado, com a máquina de projectar no meio ds sala (era um filme de 8 mm) e a emoção que os participantes (técnicos, actores, etc),denunciavam, comigo incluído como responsável pela adaptação da música de fundo, graças aos discos de música clássica do Rádio Clube Lindelo, muitas horas de trabalho minucioso e o prazer indescritivel de participar em algo diferente e que, infelizmente, se haveria de perder para sempre...Tempos heróicos, sem dúvida!

    ResponderEliminar