quarta-feira, 27 de março de 2013

[0404] Da Praia de Bote à Cidade Velha com turismo pelo meio

Dá gosto ver e é significativo o que estas fotos revelam. Enviadas (bem como o texto)  pelo português mais cabo-verdiano da Cidade Velha, o poeta, escritor e radialista Nuno Rebocho, nosso amigo, ficam bem no PRAIA DE BOTE - onde fica bem tudo que é de mar e de Cabo Verde. De resto, é bom que o Mindelo ponha aqui os olhos... e as vontades.


Turismo na Cidade Velha: uma realidade do dia a dia

A aposta, em boa hora feita, no turismo como motor do seu desenvolvimento está a ser ganha por Cidade Velha. De dia para dia, é maior o número de visitantes estrangeiros que chegam ao Berço Histórico da Nação cabo-verdiana, desdobrando o perfilar de línguas que se cruzam para procurar se fazerem ouvir e entender: inglês e francês, alemão, holandês, espanhol e italiano, de tudo se ouve. Até japonês. Na rota dos grandes paquetes turísticos que chegam constantemente a Cabo Verde, desembarcando na Praia, a nova estrada alcatroada que liga a Cidade Velha é um apetite convidativo. Com isso, cresce a nova procura nos bares e restaurantes do Património da Humanidade, enquanto se preparam novas ofertas que atraiam a atenção dos turistas. E não é já apenas o sonho de se abrir o mercado. Há mais: Cidade Velha, agora feita um verdadeiro estaleiro de construção, com obras por tudo quanto é sítio, está a transformar-se a olhos vistos e a crescer.






3 comentários:

  1. Claro que sim, Joaquim, os mindelenses têm de se sentir também parte deste lugar, que por acaso é bem bonito do ponto de vista paisagístico-natural. Visitei-o (pela primeira e única vez, até agora)e adorei, pelo seu pitoresco e pelo seu importante significado na história do arquipélago e do país. Estou convencido de que os turistas gostarão do lugar, mas desgosta-me que não haja (ou não tenha havido) um pouco mais de gosto e cuidado na preservação da originalidade do povoado. A construção de edifícios e habitações devia pautar-se por certo padrão e o mesmo se diz em relação à sua pintura. Apreciei ter bebido água de coco sentado numa esplanada. Um prime meu é dono de um resort ali construído chamado Limeira Hotel. Na altura da minha visita, estava em curso a construção.

    ResponderEliminar
  2. Ao ver tudo isto, fico imensamente satisfeito mas lamento por o Fortim d'El Rey não ter tido a mesma sorte.
    Seria mais uma mais valia para Cabo Verde se tivesse sido aproveitado para um Museu.

    ResponderEliminar
  3. São exultantes, estas noticias e a reportagem fotografica é bem elequente na tarefa de ilustrar a mensagem textual, só por si, valiosa!
    Pena é que seja a excepção...

    ResponderEliminar