domingo, 30 de março de 2014

[801] Para a história do comércio no Mindelo (anúncio 5/15) - VEJA OS POSTS ANTERIORES SOBRE ESTE TEMA E COMENTE-OS

Hoje deixamos o bem fornecido estaminé do Sr. Jaime Santos e passamos ao do Sr. J. B. Guimarães. Este só tem representações de alta categoria: ele é a "L'Urbaine" (ver AQUI), ele é a "Companhia de Seguros Universal (do Grupo CUF)", ele é até a Biscup & Stein de Hamburgo (porque vendia postais ilustrados editados por esta empresa alemã). Mas não se contentava apenas com isso, o nosso homem.  Ainda por cima importava em exclusivo a "bolacha preferida pelo povo de Cabo Verde" (ainda não havia o Matos nem o Wahnon, claro...). Em simultâneo, vendia artigos de mercearia, fazendas e géneros da província. E até reparava e fretava navios. Enfim, um comerciante completo, no nosso Mindelo de 1913.



3 comentários:

  1. Também nunca tinha ouvido falar desta casa comercial. Isto mostra a dinâmica que a vida do Mindelo se permitiu em tempos idos. Tanta coisa nova vai sendo desvendada pelo Joaquim. Tudo isto terá de dar origem a um futuro livro.

    ResponderEliminar
  2. João Baptista Guimarães, era bravense e foi na sua casa que trabalhou Eugénio Tavares quando viveu no Mindelo em finais do séc. XIX. É bisavô do Luís Guimarães Santos e do Jorge (Djita) Guimarães Santos que foi director do Cabopress.

    João Nobre de Oliveira

    ResponderEliminar