sábado, 28 de junho de 2014

[0945] Postais estranhos, misteriosos, destrambelhados e inacreditáveis sobre a ilha de São Vicente e sobre Cabo Verde (4/4)

Este é de todos os postais estranhos que temos mostrado (mostra que com o presente acaba) aquele que parece mais passível de ser de São Vicente. No entanto, configura-se algo esquisito e não se sente aqui o espírito das ilhas. São soldados em missa campal, junto a uma estrutura coberta por colmo que contrasta vivamente com as duas cadeiras, uma de tipo austríaco, a outra mais comum mas mesmo assim nada condicente com a palhota. O cura está protegido por um chapéu de sol e vislumbram-se pelo menos quatro militares brancos: dois ajoelhados, à esquerda e dois na mesma posição junto às cadeiras onde anteriormente estariam sentados, estes talvez oficiais. Mas onde a coisa falha é no facto de o soldado em primeiro plano do lado direito estar descalço. Nas outras fotos que temos na nossa colecção com militares africanos declaradamente cabo-verdianos (umas três ou quatro), todos estão calçados. Por outro lado, sendo São Vicente uma pequena ilha, não se percebe para que iriam os militares ter uma missa campal quando a cerimónia poderia decorrer perfeitamente na igreja de Nossa Senhora da Luz, alargando-se o palco em caso de grande aglomeração de tropas à Pracinha da Igreja. Não estamos mesmo nada a ver esta missa em São Vicente, mas nunca se sabe...


5 comentários:

  1. A pesença dessa cadeira austríaca talvez nos possa remeter para o Sudoeste Africano (Namíbia), salvo erro a única colónia que a Alemanha administrou em África...Mas, a missa...

    ResponderEliminar
  2. As cadeiras austríacas eram comuns em todo o lado. Estou certo de que com ou sem palhinha no assento as havia em Cabo Verde, nesta altura. Mas naquele descampado? Levarem cadeiras para ali só para dois ou três oficiais se sentarem? Devia ser coisa local, da casa de um missionário, pastor, um terratenente com propriedade na zona. Mas em São Vicente? Uma missa campal por exemplo no Mato Inglês? A que propósito? Noutro sítio? Onde? No Monte Verde? Em São Pedro? Este é que é mesmo um mistério misteriosamente misterioso. Ou então estamos na Guiné, Angola ou Moçambique e alguém pregou ali aquela legenda...

    Braça às escuras,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. O tipo de construção não é de Cabo Verde. Vi palhotas em Santo Antão mas nada que se pareça. Vejam as armas à esquerda; nem Soncente, nem Cabo Verde.
    Mas é bem possivel que seja uma africa... portuguesa.

    ResponderEliminar
  4. Sem dúvida que isto não é S. Vicente nem outra qualquer ilha do arquipélago. Eu acho que nem sequer é África portuguesa. Nem as palhotas são nossas nem os tipos fisionómicos são de cabo-verdianos.

    ResponderEliminar
  5. hep!isso nao é nada de nôs terra deve ser la pras costas de nao sei onde mais cabo verde?nao sei.até na quel tempe intigo tinha ladrunisses dess tipe? vendé txuc pa ser boi.um abraço da França(Tchenta)

    ResponderEliminar