segunda-feira, 8 de setembro de 2014

[1077] Um dos oito navios apresados em São Vicente, em 1916: o "Bürgermeister Hachmann" / "Ilha do Fogo"

Como prometido, continuamos hoje a contar (embora sumariamente, que os dados são mínimos) a sorte de alguns dos oito navios alemães apresados por Portugal em São Vicente, em 1916, para isso recorrendo a documentação, encontrada aqui e ali.

Cabe-nos desta feita falar do "Bürgermeister Hachmann" / "Ilha do Fogo". Tratava-se de um cargueiro construído em 1901, nos estaleiros de Craig, Taylor & Co., Ltd., de Stocton-On-Tees, Grã-Bretanha e motor/es (?) também britânicos, de Richardson, Westgarth & Co., de Middlesborough. Pesava 4315 toneladas.

Quando foi apreendido em São Vicente era pertença de Siemers G. J. & Co., de Hamburgo. Passou então para a posse dos Transportes Marítimos do Estado.

O seu fim soaria em 1916. Navegando de Clyde (não conseguimos saber qual das várias cidades com este nome é a correcta) com uma carga de carvão para Savona (Ligúria, Itália), afundou-se após colisão com o "Amelia Campisi", futuro "Jarl", perto de San Sebastián, Espanha .

Como "Ilha do Fogo", 1916, em local desconhecido - Foto WSite

2 comentários:

  1. Infelizmente, não chegámos a gozar da sua posse. Mas é emocionante ler estas peripécias marítimas.

    ResponderEliminar
  2. Aprendo com esta saga de barcos apreendidos.
    Tenho na ideia o barco italiano "Gerarquia" que não foi apreendido mas estando no Porto Grande quando começou a Guerra" ali permaneceu fundeado até depois da contenda.
    Jà contamos estôrias diversas em que dele falamos.
    Muito boa contribuição

    ResponderEliminar