sábado, 11 de julho de 2015

[1579] Janeiro de 1961: um empurrãozinho da TAP para o fim do Império. É o que dá ser-se ridículo, sobretudo com o último quadradinho. Foi por estas e por outras que... (clique na imagem, para a ampliar)

Regra do blogue: novo post, só quando este tiver cinco comentários de comentadores diferentes (ou mais...). 


2 comentários:

  1. Pois é, Djack, pois é... Eu diria simplesmente que a sensibilidade humana não é uma característica comum a toda a gente, se a questão se cingisse à mera natureza humana do autor dos quadradinhos. Mas não, o problema é bem mais amplo no seu significado, e desde logo grave, como reparaste por seres pessoa não só "sensível" como inteligente. O problema é, de facto, uma empresa do Estado caucionar e assumir este olhar sumamente racista acerca do africano: pouco mais que um macaco, ou um ser manifestamente inferior. O desenho é de Janeiro de 1961. Convenço-me de que uns meses depois não teria havido coragem para incorporar o último quadradinho no sketch publicitário. É que em 15 de Março de 1961 rebentaria o terrorismo no norte de Angola.

    ResponderEliminar
  2. NÃO CREIO QUE SEJA RACISMO...PREFERIRIA CHAMAR-LHE IGNORANCIA...

    ResponderEliminar