sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

[1765] Neste dia 1, a inevitável fotografia da inevitável banda e do inevitável sítio

Aqui está ela, a conhecida fotografia. A mais adequada à data e mais ou menos à hora em que foi produzida, de manhã, no acolhedor recanto da Capitania, no ambiente único da Praia de Bote e da Ponta de Praia, no enquadramento inimitável da Baía do Porto Grande. Era a marchinha ou a morna a tocar, o Patrão-mor, a esposa e o filho a abrirem a janela e as moedas ou a nota que passavam para a mão de um dos apoiantes da Banda Municipal e depois os agradecimentos e mais uma muzguinha, num tempo feliz. À esquerda, o botequim do Faustino, depois Boca de Tubarão. Na parede da Ferro & Cia., a placa de Avenida da República e o anúncio da agolana Cuca...

Braça de Ano Nobo para todos que têm feito este blogue exclusivo dos locais citados e do resto de Cabo Verde (quando calha).

1.1.1964 - Foto Narciso Silva

2 comentários:

  1. Este acontecimento musical do primeiro dia do ano nunca o vi noutro lado senão em S. Vicente. Mas não tenho informações precisas sobre o assunto.

    ResponderEliminar
  2. Não tenho precisões mas tenho a ideia de ter feito (durante alum tempo) como os mirones que rodeavam os mùsicos. Seguia a Banda por onde passava sob o risco de ouvir depois "ond'ê qu'bo tava?"
    Bons tempos que devemos cultivar porque somos os guardiões da Mamôria e dvemos salvar a nossa Histôria.
    Obrigado, Djack !!!

    ResponderEliminar