sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

[1862] Ainda o VI Encontro de Escritores da Língua Portuguesa

2 comentários:

  1. Algumas palavras bonitas, algumas ideias politicamente correctas e uma referencia ao falecimento muito recente de um personagem que a memoria de 75 parece ter esquecido...
    Zito

    ResponderEliminar
  2. É uma sucinta mas útil panorâmica sobre o que se passou. Deu para ver a Ondina Ferreira, ainda que apenas de relance, que interveio sobre o Arménio Vieira.
    Deu para ver também o ministro da cultura, que não fugiu a colocar certa carga política nas suas palavras, mediando entre o politicamente correcto e o incorrecto. Por exemplo, trazer à colação a libertação da tutela colonial. Por exemplo, dizer que os cabo-verdianos reinventaram a língua portuguesa, o que é verdade, mas não deixando claro se o foi apenas na criação dos crioulos exactamente como são, ou se com um ALUPEC que nos querem impingir.
    Quanto ao falecimento do escritor Jorge Miranda Alfama, primo direito do meu pai, cuja morte também necessariamente me enlutou, é de facto pena que em relação à sua memória alguns conterrâneos guardem algumas mágoas por causa dos acontecimentos de 1975. Não sei de conhecimento directo o que se passou, pois apenas ouvi alguns factos que, de facto, são para esquecer. Paz à memória desse primo, com quem aliás nunca convivi.

    ResponderEliminar