quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

[1939] Línguas de vaca, há muitas... (ver post anterior e post 1935)

A planta
Línguas de vaca bicho-animal-vacum-bovino há muitas, tantas quantas vacas há no mundo, excepto alguma que ficou sem ela ainda em vida (e já não estamos a incluir as dos esposos, os bois, também detentores desse apetrecho intra-dentuça). 

Mas, para além desta, há a língua de vaca, planta, de muitas propriedades que AQUI se podem ler/ver.

Cabo Verde inventou mais uma, a "moeda língua de vaca", de 10$00, da série plantas (existentes nas ilhas), de 1994: a "contra-bruxas" (5$00), a língua de vaca (10$00), de nome latino echium stenosiphon webb existente sobretudo nas ilhas-irmãs de Santo Antão, São Vicente e São Nicolau, a carqueja (20$00), a macelina (50$00) e o saião (100$00).

Os nossos amigos Val e Zito, grande gourmets, embandeiraram em arco e pensaram logo no mau petisco (Val) e delicioso petisco (Zito), provando que não há "dôs cabeça mindelense ingual". Mas de facto tratava-se apenas de aguçar a curiosidade para a moedinha que tenho em versão usada e versão não usada (troco ambas por uma cachupa por mês durante os próximos 30 anos), ahahahaha


3 comentários:

  1. Mas quem iria, hem!, que era coisa de planta e não de carne? Nunca tinha ouvido falar nessa moeda, nem sequer do nome da planta. Bem, troco uma por um prato de lampreia em Tomar, pois é agora época do bicho.

    ResponderEliminar
  2. Eu não troco coisa nenhuma porque fui vitima da "mufneza d'um mnine de Ponta Praia". Por esta pirraça prometo vingar-me com um remo dos butins.

    ResponderEliminar
  3. Essa língua, eu não conhecia e continuo, obviamente, a preferir a outra, a de vaca autêntica, mesmo estufada!
    Braça ignorante
    Zito

    ResponderEliminar