sábado, 16 de abril de 2016

[2143] Fome, a malvada fome


4 comentários:

  1. Um quadro horroroso descrito com realismo. E seria só em Santiago?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito possível que sim, mas o Seyguarda estava em Santiago. Logo, é natural que ele fale da ilha que melhor conhecia nesse aspecto desgraçado da fome.

      Braça longe desse mal,
      Djack

      Eliminar
  2. Não foi só em Santiago. Na ilha do Fogo cenas similares se passaram igualmente. Só que Seyguarda só esteve na ilha maior e mais densamente povoada. Um quadro de horror e descrito sem pinças ou eufemismos.
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. A noticia fala de 1864 e acho bem relembrar essas pragas. No grupo dos que frequentam os blog's sou o ùnico a ter visto coisa parecida, nesta caso, de crianças cadavéricas que Nhô Jonzim Baltazar e um outro, seu socio cujo nome não me ocorre, levavam como lenha (desculpem, p.f.) de S.Nicolau para SonCente e cda um ia buscar uma no Cais Velho.
    Não informar isso à geração actual, a quem inculquem ideologias que nada têm a ver connosco, é um crime.
    Cada um faz a homenagem que puder e souber. Ficamos obrigados.

    ResponderEliminar