domingo, 3 de julho de 2016

[2249] Finalmente, alguém olha para o Mindelo e para a sua história com olhos de ver


5 comentários:

  1. Importante e louvável a iniciativa destes investigadores. Oxalá consigam atrair investidores. Obrigado, Djack, por estas notícias sempre fresquinhas.

    ResponderEliminar
  2. Mais vale tarde do que nunca. É pena que estas iniciativas não tenham sido concretizadas no reinado do Dom PAICV desde 2004 quando houve o SIRUM no Mindelo ainda reinava na cidade a Isaura (o sr que está a falar julgo foi ministro durante décadas do governo deste partido) em que estivemos a sofrer/chorar vendo património indo por água baixo, direcção aos esgoto do Caizim, como ‘ques parede bedge’ da Casa Adriana da música da Bana, que chamaram pardieiros e antro de droga. O Estado deixou ruir muito património para entregar a apetites vorazes especulativos e fazer propaganda eleitoral, como o Centro de Saúde. Temos o exemplo acabado das ruinas do Eden Park e do Fortim que foram deixados criminosamente chegar a um ponto de não retorno, para justificar o seu abate e especular sobre o centro Histórico, para varrer a sua traça. Há muita gente a querer fazer muito dinheiro com a cidade do Mindelo Afinal sempre tívemos razão em bater no ferro. E éramos conotados como do contra, inimigos, pertiferados, anti-progresso, catchor de dos pé etc, enfim todos os mimos caninos que há sobre terra.

    ResponderEliminar
  3. Estou espantado, não pelos dizeres do ex-Ministro mas, por ele ter sido do partido que nos deixou partidos.

    ResponderEliminar
  4. A iniciativa por ser local e mindelense, no meu entender, é garantia de que terá alguma persistência até alcançar os objectivos dos seus impulsionadores que é o de preservar, resgatando a memória arquitéctónica de Mindelo. Votos de êxitos no empreendimento.

    ResponderEliminar
  5. Parece , foi a palavra usada pelo amigo José Fortes Lopes. Tudo que diz respeito a S. Vicente nos seus aspecto económico, social, cultural, tecnológico, ambiental, etc, e que depende do Governo Central, ponho duvidas. Sou como S. Tomé ver para crer. Amanhã faz 41 anos que estamos a sofrer que nem Sisífio da mitologia grega.

    ResponderEliminar