segunda-feira, 25 de julho de 2016

[2318] Ao defeso de comentários, responde-se com defeso de posts

À falta de comentários a posts que dão imenso trabalho de pesquisa e colocação e pano para mangas de conversa, respondemos com travagem de posts. Visitas não nos faltam (inclusive as dos famosos fantasmas russos), mas visitas silenciosas não servem absolutamente para nada e dispensamo-las perfeitamente, pois número neste caso não equivale a qualidade. É preferível ter 10 visitas com comentários por dia a ter 10 000 visitas mudas por minuto... Por exemplo, para que nos serviram as 132 vistas oriundas de Cabo Verde já contabilizadas esta semana? Assim, e com esta caloraça, não estamos para dar matéria de bandeja para visitas silenciosas, pelo que arriamos as velas dos botes da nossa praia e singramos de novo mas agora com a proa apontada a outros horizontes mais "lucrativos", também cabo-verdianos e de escrita.

Fica a pergunta: quem sabe o que foi o "Bando da Rua"? Sim, o "Bando da Rua", cinco (peço desculpa, pois inicialmente escrevi aqui que eram quatro) boys, um dos quais era o Walker...

Quem souber, que responda; quem souber e não quer responder, que não responda; e quem não souber, paciência... Entretanto, até ao nosso regresso, na altura em que as mangas tiverem pintinhas azuis.

8 comentários:

  1. NÃO FAÇO A MÍNIMA, MEU AMIGO...TERÁ ALGO A VER COM O DJOSA DE NHA BOA?!
    Braça 'gnorante..
    Zito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é uma das incógnitas da vida do Djosa. Ninguém sabe como ela era... logo, ninguém sabe se dava boas esmolas na igreja ou se era uma estampa de mulher. Isto, respondendo ao "BOA" do Zito. Só se sabe que era nha Bia e que era moradora no Lombo...

      Por outro lado, embora o Djosa tenha feito quase tudo na vida, no consta que tenha pertencido ao "Bando da Rua" que em 1944 se encontrava por Lisboa e, ao que se supõe, mais ou menos pela mesma altura ou perto dela pelo Mindelo. Eram quatro, os do BR e um deles era o Walter.

      Braça em tempo de defeso e de BD,
      Djack

      Eliminar
    2. Peço desculpa, fugiu-me o dedo para a verdade, até porque eu conheci a Bia antes de ser Nha e era, como diria meu tio Augusto, "boa como o milho" (depois de devidamente cozinhado, claro, que eu não sou galináceo)...
      Braça saudoso de gente...BOA,
      Zito

      Eliminar
  2. Se existiu não foi no meu tempo. Nesse tempo não podia ser porque os policias vinham logo com a mesma lenga-lenga "é proibido fazer grupo mais que um".
    Peço desculpas por não responder a tudo. Não sou parente do Djosa. Hellas !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tinha então o VC e futuro "cabo-verdiano emérito de Tous" 11 anos. Era do seu tempo, era, olha ele a tentar escapar-se, ahahahahahahah

      Braça com "Bando da Rua" ês cinque,
      Djack

      Eliminar
    2. E para ajudar, posso dizer que em princípio ês ca fazia sê trabói na rua... ês ca pertencia a Brigada d'Estrada. Talvez um véz o ote, sim, na rua.

      Braça bandolera,
      Djack

      Eliminar
  3. Quanto à "claciria" dos que não visitam o PdB ou o visitam e saem silenciosos, já concluí que não há nada a fazer. Mesmo nada.
    Quando ao Bando da Rua, também desconheço. Será coisa de S. Vicente ou é de projecção internacional?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, continuarão mudos mas ávidos daquilo que aqui colocamos. Por isso, dá-me um certo gozo ver que vêm cá ao cheiro mas esbarram na porta, ahahahaha.

      Quanto ao Bando da Rua, foi coisa de Mindelo e de Lisboa, talvez pouco mais. Sei quem eram mas pouco do que eram.

      Braça com 5,
      Djack

      Eliminar