quinta-feira, 4 de agosto de 2016

[2340] Recuperamos notícia de 1 de Julho sobre novo disco de Vasco Martins

5 comentários:

  1. Também sem o filme. Há qualquer coisinha a mexer com as engrenagens.

    ResponderEliminar
  2. Meus caros, não sei o que se passa com os vossos computadores, mas a verdade é que eu vejo os filmes sem qualquer problema. Não fiz nenhuma alteração no mecanismo do blogue. Por outro lado, vocês dizem que não vêem mas daí a pouco já vêem. Parece-me que há que esperar um pouco. E se mesmo assim não conseguirem, não vejo maneira de remediar a coisa, pois, como disse, não fiz a mínima alteração e vejo tudo na perfeição. Ainda agora fui verificar os filmes e está tudo OK. Esperemos que a onda má se esbata e que o Mar de Canal passe a Mar da Tranquilidade.

    Braça com filmes visíveis,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Este continuo se conseguir catchil. Mas sou paciente...

    ResponderEliminar
  4. Consegui "catchil" desta vez.
    Sobre o que é dito pela apresentadora e pelo Vasco Martins (proximidade entre a morna e o fado), escrevi há tempos o seguinte:"Há quem opine que as origens do fado remontam ao tempo das Descobertas, e, a ser assim, colhe então interrogar-se sobre esta estranha similitude estrutural entre a morna e o fado. Desconhece-se a origem de qualquer dos géneros musicais, mas quando alguém opinou que a morna deriva do fado, o escritor Manuel Ferreira contrapôs com o argumento de ela ser mais antiga que o fado. O que é verdade é que tanto o fado como a morna vão ao fundo da alma para soltar a dor do coração sofrido ou deixar escoar tristemente a saudade. Ambos são expressão de um lamento que bem pode ter nascido na solidão do convés de um navio naquelas noites olorosas em que a lua espalha o seu brilho de prata sobre a superfície quieta do mar."

    ResponderEliminar