segunda-feira, 15 de agosto de 2016

[2381] Praia de Bote e G15 (Grupo dos 15) homenageiam o falecido Café Royal do Mindelo

Como se sabe, Pd'B mantém desde sempre uma excelente relação com os artistas plásticos mindelenses. Por isso, aqui na redacção pensámos em homenagear o velho Café Royal e para tal pedimos aos boys & girls do G15 para trabalharem sobre uma foto de 1999 feita pelo nosso administrador, Djack d'Captania (na qual até aparece o dono de então, o Tchuna). Aqui ficam estas versões, todas elas graciosas (o Michel de nha Maninha ainda pediu 200 contos cabo-verdianos mas depois reconsiderou e também ofereceu a sua obra), pelo que se agradece penhoradamente aos elementos do grupo, ora sediado na velha esquadra d'pliça, a staçon. Após esta mostra virtual no Pd'B, os quadros ficarão expostos em permanência na Torre de Belém.

Michel de nha Tanha (aguarela)
Nhelas d'Matiota (óleo sobre madeira)
Pidrin "Bronc" d'Maderal (óleo sobre tela)
Tanha da Luz Semedo Pina (acrílico sobre madeira)
Djica Évora (técnica mista)
Maria da Luz d'Praça Nova (aguarela)
Adérito Ambrósio da Cruz Lima (técnica mista)
Djack d'pé d'Palóce (óleo sobre tela)
Agnela Oliveira de Matos Drête (óleo sobre carapaça de tartaruga)
Dade de Fonte Cónego (acrílico sobre tela)
Olavo Guibarra dos Santos (acrílico sobre madeira)
Orlando "Butim" Pereira (óleo sobre tela)
Djosa Lúcio Fortes (desenho a tinta da china)
Terência da Silva Brito (aguarela)
Gilin "Scuna Cúter Palhabote" Reis Cruz (óleo sobre tela)

8 comentários:

  1. "Ninguém ê fora mitida. Ca tem ruciada.
    Roda, roda, sim cantim !!!

    ResponderEliminar
  2. Os nomes dos artistas são típicos e um deles, o Dade de Fonte Cónego, existiu mesmo. Foi meu vizinho e hoje vive em Lisboa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, coincidências, mas este reside agora em Salamansa e é ali dono de um restaurante chamado "Cantin de Dade". Nas horas livres, pinta. Por outro lado, Dades há muitos e muitas. Até houve a Dade vendedeira de legumes e frutos no pelourinho.

      Braça dadal (também houve um famoso Dadal de insignes culinárias de polvo).
      Djack

      Eliminar
  3. Djack, eu só conheci Dades machos, mas fêmeas, nunca. Mas claro que as há também. Este de que eu falei chegou a fazer teatro com o Val, no Eden Park.Foi uma espécie de parceria entre o Amarante e o Castilho. Dos de diazá, claro.

    ResponderEliminar
  4. O DADE MAIS CÉLEBRE ACHO QUE É O DADE DE NHA MOCHIN PINTO... DADAL, VELHO E DESAPARECIDO AMIGO, PROFISSIONAL DO DESPACHO ADUANEIRO, COLECCIONADOR DE ISQUEIROS "ROUBADOS" QUE, INFELIZMENTE (?) LHE FORAM UMA VEZ ROUBADOS DURANTE UM ASSALTO Á SUA CASA, QUE COZINHAVA UNS PETISCOS APRENDIDOS NA BAIA DA GATAS, COM O DJÔ DE LINO, CERTAMENTE...
    Braça salivado
    Zito

    ResponderEliminar
  5. Lindas imagens do Café Royal, com o meu saudoso Tio Tchuda à porta. Manuel amante

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Manuel,
      Já seguiu por email o original.
      Braça,
      Djack
      (e viva o velho Café Royal)

      Eliminar