terça-feira, 27 de setembro de 2016

[2522] Celina Pereira - "Mar Eterno", morna de Eugénio Tavares (ver post 2518)

7 comentários:

  1. Há muitos - bastantes -anos ouvi esta amiga cantar, de forma quase sublime, Avé Maria no Morro, essa belíssima balada de Herivelto Martins...Era acompanhada por Naldinho (piano), Hermes Lima (contrabaixo), Ângelo Lima (viola eléctrica) e Faia Torres (bateria)... Grande voz e grandes músicos (resta o Hermes...)...
    Braça melómano
    Zito

    ResponderEliminar
  2. (Escrevi este comentário antes de postado o do Zito)

    A Celina Pereira tem uma voz de timbre e musicalidade próprias e inconfundíveis, mas, salvo opinião mais abalizada, ela não consegue imprimir a esta morna a profundidade dramática que a caracteriza. O mar é eterno, esta morna é eterna no nosso reportório. A interpretação da Celina fica pela espuma que fervilha na crista da vaga, não a acompanha o seu desabar até à cava, nem segue depois com ela no seu espraiar longínquo até à beira mar, ao encontro de olhos contemplativos, enigmáticos e saudosos.
    Mas eu sou leigo em música. O Zito e o Valdemar dirão melhor.
    Isto sem desprimor para a cantora, que aparece neste ficheiro com interpretações mais conseguidas de outras mornas.

    ResponderEliminar
  3. Quis escrever: não a acompanha no seu desabar até à cava.

    ResponderEliminar
  4. Outra correcção: timbre e musicalidade próprios.

    ResponderEliminar
  5. A amplitude vocal da Celina é - pelo menos, era - enorme e pode atingir cúpulas épicas...A morna é, por definição, uma melodia romântica, que exige mais à modulação do que à amplitude... Celina estaria mais vocacionada para o belcanto...
    Daí, a sua bela interpretação de Avé Maria no Morro, uma canção dramática!
    Braça de fã
    Zito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, OK, mas a Celina foi aqui colocada a cantar "Mar Eterno" apenas para ilustrar o post do lencinho de seda. O lencinho de seda é que é o principal motivo. Estou a ver que ninguém gosta de lenços de seda, sobretudo os de Cabo Verde, sobretudo os de São Vicente, sobretudo os do Mindelo, sobretudo os que são ilustrados com estrofes de mornas.

      Ora façam favor de falar DETALHADAMENTE dos lenços do Mindelo. Estou tramado convosco...

      Braça com quilómetros de tecido de seda para lenço,
      Djack

      Eliminar
  6. Bem, o Zito explica a voz da Celina com recursos especializados que não possuo. Eu só quis dizer que já vi essa morna cantada com aquela profundidade que se consegue arrastando certas notas e que confere mais dramatismo à morna. Quanto ao resto, gosto da sua voz.
    Quanto aos lenços, Djack gosto, sim senhor. Sobretudo porque são originais na singeleza das estampas e na expressão do seu significado telúrico. Não os conhecia nem vi desse material nas minhas visitas a Cabo Verde. A minha mulher teria comprado.

    ResponderEliminar