quinta-feira, 13 de outubro de 2016

[2642] Prémio Nobel de Literatura para Bob Dylan, um post em excepção no Praia de Bote

É claro que uns gostariam que fosse outro a ganhar o Nobel da Literatura, embora Robert Zimmerman, o rapaz de Duluth Minnesota, fosse frequentador habitual das listas indicativas do maior prémio de letras do mundo. Praia de Bote não vai repetir o que outros poderão dizer melhor mas hoje faz excepção ns coisas cabo-verdianas por um cantor e autor que é visita quase diária cá de casa, em livro e cd (que disco vinil dele só temos um). Fomos contar o acervo e estão ali nada mais que 31 cd (e falta uma data deles, físicos, alguns gravados de/por amigos, em mp3 - pelo que temos de facto quase tudo dele). Livros, são os que aqui se mostram. É de facto um prazer ouvir e reouvir aquela voz rouca e sobretudo remoer aqueles poemas nos dois books bilingues que estão sempre na mesinha ao lado do cadeirão do escritório, a dois ou três metros daqui de onde vos escrevo. Como o Dylan não tem nada sobre Portugal nem sobre Cabo Verde (que eu saiba), passo no próximo post uma música de "Desire" (1976) intitulada "Mozambique". Um abraço ao vencedor que segundo o Pd'B merece a bolacha Maria em ouro e bem.






2 comentários:

  1. Estou parvo !!! Confesso nunca ter lido uma obra do Bob Dylan e por isso não contava com ele. Parabéns ao artista.

    ResponderEliminar
  2. Adoro, sempre adorei o Bob Dylan. Mas não entendo como lhe é atribuído este prémio. A ele, um músico, que não é propriamente criador de obras literárias. Só porque se reconhece que criou novas formas de expressão poética nas suas composições?

    ResponderEliminar