sábado, 7 de janeiro de 2017

[2788] Na morte de Mário Soares, lembrança mindelense, em duas fotos e texto evocativo da primeira visita a Cabo Verde, enquanto Presidente da República

Texto e fotos da Fundção Mário Soares

Dezembro de 1986

População do Mindelo aguardando Mário Soares
As visitas de Estado à República de S. Tomé e Príncipe e à República de Cabo Verde representam o início das deslocações oficiais de Mário Soares ao estrangeiro na qualidade de Presidente da República, demonstrando assim a prioridade dada às relações com os países de expressão oficial portuguesa. 

Nos seus discursos sublinhou a importância da língua portuguesa como elemento privilegiado de cooperação, o contributo de Portugal para a resolução dos problemas africanos no âmbito da Comunidade Europeia, a preocupação com a situação da África Austral e a condenação do apartheid. Não deixou também de manifestar a sua solidariedade com as populações de Moçambique, Angola e Timor Leste. 

É o momento em que evoca o Presidente Samora Machel, falecido em Outubro, elogiando o seu esforço na busca de vias para o reestabelecimento da paz na África Austral. 

Percorreu as ilhas de S.Tomé e Príncipe, acentuando o papel de Portugal na construção de um país novo "verdadeiramente independente, de progresso e de paz". 

Mário Soares no Mindelo
No decurso desta viagem assinaram-se acordos de assistência no domínio da meteorologia e geofísica, bem como nas áreas da agricultura, silvicultura e pecuária, iniciando-se também a construção do bairro para os cooperantes portugueses. 

Mário Soares recordou ainda as provas de solidariedade que recebeu do povo santomense quando ali lhe foi fixada residência pela ditadura entre Março e Novembro de 1968. 

Seguidamente, Mário Soares desloca-se às diferentes ilhas de Cabo Verde. Na Ilha de Santiago encontra-se com a comunidade portuguesa da cidade da Praia, visita o Instituto Nacional de Investigação Agrária e o antigo campo de concentração do Tarrafal, onde presta homenagem aos presos políticos, portugueses e das ex-colónias, que para ali foram deportados. 

Durante a sua estadia em Cabo Verde chama a atenção para a necessidade de reforçar a cooperação entre os dois países, nomeadamente através de protocolos empresariais. 

Dirigindo-se aos deputados cabo-verdianos, Mário Soares sublinhou o papel primordial do Parlamento na afirmação da Democracia, da Paz, da Liberdade, da Justiça e da Prosperidade.

2 comentários:

  1. Incontestavelmente com a morte M Soares morre um grande homem do séc. XX, um estadista e homeme político. Era o mais novo de todos. Morre também um amigo de CV.

    ResponderEliminar
  2. O Mário Soares era efectivamente um verdadeiro animal político. Para mim, é o político português mais relevante do século XX.

    ResponderEliminar