domingo, 30 de julho de 2017

[3113] Gravidez precoce em Cabo Verde (sobretudo a não planeada) deve acabar. Lura o diz... e é verdade!

Ver AQUI

3 comentários:

  1. A cantora, uma das que cantam o sentimento crioulo, bate numa tecla candente. O assunto merece muita atenção de todos os cidadãos.
    A foto escolhida pelo grande reporter data dos anos vinte do século passado. Felizmente que se trata de uma criança com uma criancinha às costas. Bem podem ser irmãs; a Mamã foi trabalhar e o bébé esteve bem guardado.

    ResponderEliminar
  2. Lura acha que deve acabar ou vai acabar? Há meios para que isso aconteça, mas depois da independência modificaram as idades para crime público sexual(menos de 12 anos, quando antes era menos de 16) e a maioridade passou para os 16 anos (em vez de 18), o que parece feito mesmo ao gosto e interesse dos homens. Eu e o Dr. Pedro Rosário reagimos contra isso e publicámos artigo contra mas de nada serviu, embora desconheça a situação actual, isto é, se a coisa foi corrigida ou não. É intrigante constatar que a grande maioria das nossas moças do povo anda com um filho pela mão, ao colo ou na barriga, e 40% das nossas crianças vive somente com as mães, sem nome dos pais. Já dizia o Dr. João Baptista de Morais que para o cabo verdiano a vagina é um advérbio de lugar.

    ResponderEliminar
  3. Muito útil o comentário do Arsénio, que eu julgo tenha já regressou de Cabo Verde. O Dr. Morais tinha razão ao actualizar a nossa gramática.

    ResponderEliminar