terça-feira, 10 de abril de 2018

[3695] Pois, Luanda e o Recife já estavam servidos. Mas nós também precisávamos de água no Mindelo e eles, atentos, sabiam disso, através da imprensa... o Rei D. Pedro V e o Sá da Bandeira. E agiram!


A propósito, já viu este outro post sobre a actividade de Sá da Bandeira na área da educação AQUI? Não quer comentá-lo?

1 comentário:

  1. Os cabo-verdianos deviam atribuir a Sá da Bandeira a nacionalidade cabo-verdiana por honoris causa.
    Será que foi por essa altura que começaram a funcionar os vaporins de água?.

    ResponderEliminar