sexta-feira, 6 de abril de 2018

[3687] Figuras urbanas em contexto rural de São Vicente

Hoje, trazemos ao Pd'B duas fotos antigas. Enquanto que na de grupo as roupas são mais ou menos casuais, na segunda, a senhora está trajada para uma festa (repare-se nos sapatos, forrados a cetim) mas surge provavelmente na Ribeira de Vinha, tal como o grupo da imagem inicial. Terá sido casamento ou baptizado, com festa, no local que depois pertenceu ao Sr. Alhinho? A foto de grupo é de Agosto de 1931 e a da senhora só, de Abril de 1932. Quanto às identificações, os nomes ali estão, sendo que a senhora parece ser a mesma, Olívia Simões. E temos o farmacêutico Amorim. Ver post antigo que se relaciona com este, AQUI




4 comentários:

  1. Aparece aqui o nome de J.J.Simões e Olivia Simões (à direita na foto) em 1931, ainda não tinha nascido. Anos depois, em 1946, o Sr. Simões foi o meu professor de Desenho no Gil Eanes e ali continuou até aposentar-se. Penso que fez toda a sua carreira de docente no Mindelo.
    Curiosamente, muitos anos depois, havia de encontrar um seu sobrinho, amigo do ex-jogar das Micas (Mindelo e Coimbra) Rui Maia, num Café em Coimbra. O moço foi logo buscar uma estraordinària colecção de fotos que pertencia ao tio e onde se via muita gente conhecida.

    ResponderEliminar
  2. Depois do comentàrio, fui ao AQUI e, com màgua, vi que o saudoso Zito me fez uma pergunta à qual o Djack deu a resposta.
    Efectivamente, o marido da D.Eulàlia causava risota pois nunca trabalhou e ia diariaente ao Plurim de Virdura, cabisbaixo, com o saco de compras sempre no mesmo caminho: Praca Nova, Rua do Telégrafo, Rua de Lisboa. N
    aquele tempo e naquele lugar isso não se fazia e, para complicar tudo, ele apresentava-se invariavelmente como "marido da professora" que, essa, era alcunhada de "Senhora das Areias" devido o seu fisico que se desenvolveu bastante depois de ter bebido a àgua de Madeiral.

    ResponderEliminar
  3. Mas que fotos interessantes o Djack foi desencantar de um qualquer baú!
    Mas que explicações úteis o Val deixa aqui para ilustrar as fotos!
    Eu nunca tinha ouvido falar destas pessoas,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como bom pescador da Praia de Bote, aqui o dono do blogue sai todos os dias em busca de materiais cabo-verdianos. Daí que a maior parte das vezes venha algo de interesse nos anzóis que são deitados ao Mar de Canal... Como estas raras fotos e as outras do post mais antigo que se pode ver no AQUI.

      Braça com luxos postados,
      Djack

      Eliminar