domingo, 6 de novembro de 2011

[0145] Texto muito interessante, sobre um tempo desaparecido, o dos "shipchandlers" do Porto Grande (ver posts 144 e 143)

in jornal "Terra Nova", de Outubro de 2011.

O administrador do PRAIA DE BOTE ainda apanhou os restos destes tempos gloriosos do comércio mindelense. Alguns destes nomes sobreviviam ainda, nos anos 60, mas tinham entrado em cena outros, como o Benvindo, a Loja do Leão e a Casa Serradas (alguns de que ele se lembra). Chegar a "Sagres" ou outro navio de guerra português, por exemplo, era sinal de que era certo e sabido que muitos dos membros das suas guarnições trariam para Lisboa rádios de transistores Sony e Philco, relógios Cauny ou televisões Sony. Sim, televisões Sony, que não serviam para nada na ilha mas que ali eram vendidas a gente dos barcos que as trariam para terras onde o sinal de TV funcionava, por preços incrivelmente mais baratos que na capital do império...

Aqui fica então, com a devida vénia ao autor, o assaz interessante texto de António Nobre Leite (residente em Brockton, Massachusetts), elucidativo e fixador de memórias de um tempo definitivamente perdido.

Clique na imagem)

4 comentários:

  1. Embora um pouco tardiamente, não posso deixar de assinalar o interesse desta narrativa do que foi a actividade dos shipchandlers de outrora, a alma viva da nossa baía. Essa do búzio portador da oferta eu desconhecia. Poderia ser outro objecto, mas creio que o búzio revestia uma certa simbologia marítima.

    ResponderEliminar
  2. Desde a minha Infância e Adolescênica que,do alto da nossa casa em Lombo Tanque, acompanhava as actividades na Baía do Porto Grande, tais como, a chegada e a saída dos Barcos de Carga Nacionais (Portugueses) e Estrangeiros, dos Petroleiros, que apesar da sua decadência em meados da Década de 60/70 me causava um grande fascínio. Igualmente também o dia a dia dos catraeiros, dos remadores dos Botes, tudo isso me despertava algum entusiasmo nesta idade. Hoje a caminho dos 60 anos estou a reviver um pouco aquela época, com esta pequena mas interessante história relacionada com a actividade dos "shipchandlers"; é pena existirem muito poucas imagens daquela época. Felizmente ainda existem estas memórias VIVAS e este Blogue "Praia D'Bote", que nos faz relembrar mesmo que por alguns momentos,aqueles tempos do velho MANEJOM.A todos um muito Obrigado, e longa VIDA.
    DE Mindelo Zeca Soares.

    ResponderEliminar
  3. Um grande braça para o Zeca Soares que é muito bem-vindo ao PB.
    Será um prazer contar com mais um mnine de Soncente por aqui.

    Joaquim Saial

    ResponderEliminar
  4. Bem, depois lembrei-me que o Zeca Soares já colaborou com o PB quando comentou acerca do NRP Lima. Um abraço duplo, portanto.

    Djack

    ResponderEliminar