domingo, 6 de novembro de 2011

[0146] Henrique Teixeira de Sousa, quase seis anos... (ver três posts anteriores)

Foto Joaquim Saial. Os meus livros de Henrique Teixeira de Sousa, alguns autografados (clique na imagem)

Conheci Henrique Teixeira de Sousa como presidente da Câmara Municipal de S. Vicente de Cabo Verde e como pai do meu amigo e condiscípulo do Liceu Gil Eanes Aníbal Orlando "Landim" Teixeira de Sousa, nos idos de meados de 60 do século passado. Nunca soube na altura (eu era um simples miúdo de onze ou doze anos, preocupado com outras coisas) da sua importância como médico, homem de letras ou até que era filho de um capitão John da longa carreira à vela entre os Estados Unidos da América e Cabo Verde.

Um dia, súbita e precocemente, a esposa faleceu. Nao fui ao funeral mas estive no velório, realizado na sua casa quase fronteira ao liceu. Lá estava o Landim, a quem dei um abraço, naquele quartinho com beliches onde ele dormia com o irmão mais velho. Dia mais que triste, como não podia deixar de ser...

O tempo passou. A ligação perdeu-se por décadas. Mas foi reatada, algures nos anos 90, lá por 1998, mais ou menos. O Landim, agora médico em Portugal, esteve em minha casa a almoçar, com a esposa. Tarde inesquecível, de reavivar de memórias comuns, sempre com Cabo Verde como pano de fundo.

Em 12 de Novembro de 2005 (há seis anos quase certos), revi o Dr. Henrique Teixeira de Sousa, no Restaurante Caravela de Ouro, em Algés, onde a Associação dos Antigos Alunos do Ensino Secundário de Cabo Verde (da qual sou sócio) lhe fez justa homenagem. 

Foto Joaquim Saial. Henrique Teixeira de Sousa, discursando na homenagem feita pela AAAESCV no restaurante Caravela de Ouro, Algés, em 12.Novembro.2005 (clique na imagem)

Em 14 de Dezembro do mesmo ano, reencontrei-o no lançamento do seu derradeiro livro, "Ó Mar de Túrbidas Vagas", na Casa da Morna, em Lisboa, e fiz aquelas que serão eventualmente as últimas 24 fotos da sua vida.

No dia 3 de Março de 2006, um estúpido acidente ceifou-lhe a vida. Faleceu nessa data, vitima de atropelamento, em Algés. Fui ao seu velório, como já fora ao da primeira esposa, décadas antes. A 9 de Março, foi cremado no cemitério dos Olivais, onde esteve presente um conjunto de cerca de uma centena de pessoas, familiares, amigos e admiradores que o quiseram acompanhar no último acto da sua passagem pela terra. Coube-me, a pedido da presidente da AAAESCV, Nominanda Fonseca, a oração fúnebre, singelas palavras que duraram três ou quatro minutos, antes de o seu corpo se transformar em cinza que agora repousa no Fogo natal.

NOTA: Ver também excelente texto de Adriano Miranda Lima no blogue "Na Esquina do Tempo".

Foto Joaquim Saial. Lançamento de "Ó Mar de Túrbidas Vagas", em 14.Dezembro.2005. Na mesa, Elsa Rodrigues, o editor da Plátano, Henrique Teixeira de Sousa e José Luís Hopffer Almada. Atrás, Tito Paris (clique na imagem)

4 comentários:

  1. De repente dei-me conta que o "Na Esquina" é vis-a-vis com o "Praia de Bote", ou será o contrário?! É que a proximidade dos amigos comuns e a convivência está a fortalecer cada vez mais a parceria e a irmandade. Braça,

    ResponderEliminar
  2. E ainda por cima sem invejas, o que é raro. Tudo gente da Praia de Bote, afinal, tudo mnines de Ponta de Praia, gente como deve ser, gente drête.

    Um grande abraço para o meu confrade Brito-Semedo e longa vida aos nosso dois blogues que fazem o que podem pela ilha de S. Vicente, pelo Mindelo e por Cabo Verde.

    ResponderEliminar
  3. É bom evocar a memória do ilustre cabo-verdiano que foi Henrique Teixeira de Sousa. Foi-o como médico e como escritor, mas também como cidadão de elevados princípios e grande empenhamento cívico.
    Folgo ver aqui o Brito Semedo, pois o "Praia de Bote" está mesmo do outro lado da "Esquina", ambos os Blogues empenhados em que o "Tempo" seja constantemente revisitado, se não revolteado de todas as maneiras, para que se formem pontes de ligação constantes entre o "diazá" e a actualidade que nos interpela e desafia.

    ResponderEliminar
  4. Parece-me que sim, revolvemos ambos o tempo, aqui mais o passado, no "Esquina" oscilando-se entre o passado e o presente. Dois blogues que de certo modo se completam e que fazem uma bela caminhada juntos, duas ilhas de sôdade, como se de Santo Antão e S.Vicente se tratasse.

    Braça geral,
    Djack

    ResponderEliminar