sábado, 17 de dezembro de 2011

[0161] CESÁRIA, CIZE, A SODADE QUE FICA...


Nesta dia triste para Cabo Verde e para o mundo, o  PRAIA DE BOTE publica um poema de Valdemar Pereira que acompanha a alma da diva em direcção ao céu dos que se libertaram da lei da morte.


Rosas desfalecidas
(à minha amiga Cesária)


As rosas dos melhores dias
ontem bem desabrochadas
ao sol das nossas alegrias
acabaram-se enfraquecidas
no profundo da minha alma
hoje bem dolorosa e calma.

Porque se aproximou a hora
quero poder mesmo agora
saborear o encanto precário
dos meus sonhos em relicário
mesmo sabendo-os sem a chama
que roubaram à minha alma.

3 comentários:

  1. Comentário de Adriano Miranda Lima

    ....................

    A Cesária parte e com ela um ícone de Mindelo, que é também, e profundamente, da Praia de Bote, tantas foram as vezes em que, ainda rapariga, mas já com fama de cantadeira, a vi em trânsito pela rua da Praia, identificando-se com o imaginário do lugar.

    Estes versos que o seu amigo Valdemar aqui deixa
    são de saudade e exprimem o mesmo sentimento que a diva verteu nas noites de Mindelo e outros lugares do mundo.

    ResponderEliminar
  2. Ciao Val
    Gostei de te ver cantar Cize em versos. Grande perda! Felizmente deixou-nos um grande tesouro, as suas mornas e coladeiras. Que Deus a tenha acolhido com muito amor. Paz à sua alma. Um abraço Fernando

    ResponderEliminar
  3. Boa tarde!
    A Diva dos pés descalços em uma clássica foto, ela que também é uma rosa e está amorosamente fazendo parte do bouquet que Valdemar Pereira saudosa e gentilmente lhe oferece. Canta a letra brasileira "As rosas não falam", porém esta, além de falar, cantava e, embora não saiba corretamente algumas das palavras de suas canções, sei de sua voz quente e suave; sei que já não canta aqui, mas sua voz ressoa na espiritualidade.
    Que cante na PAZ.

    um "braça" para todos
    Yara Lima Oliveira - BA- BR

    ResponderEliminar