quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

[0172] Ainda fotos do funeral de Cesária Évora (de John Leão)

As fotos do John chegaram-me através da Maria Helena Pinto Neto, com o texto do autor que aqui junto. Obrigado a ambos. Se calhar, muitos dos frequentadores do PRAIA DE BOTE já as viram.  Para os que não, elas aqui ficam. 


CLIQUE NAS IMAGENS, PARA AMPLIAR

"Creio que todos os que fotografámos o funeral da Cesária preferíamos ter fotografado um concerto. Nunca me acontecera ter captado imagens deste tipo e sinto até algum embaraço em divulgá-las. Chamem-lhe o que quiserem: falso pudor, superstição, medo e outras coisas. As fotos não primam pela qualidade. Não era essa a minha preocupação, nem poderia ser. Felizmente, guardo para mim recordações de como era em vida a Cesária." 
John Leão
















(clique para ampliar)

3 comentários:

  1. Ola, john...Mau grado o nojo, há que reconhecer que as fotos são uma reportagem eloquoente do carinho que os mindelenses nutriam pela sua Cize.
    Por outro lado, alegra-me veriicar que, finalmente, desististe do teu desejo de anonimato e que o tenhas feito neste espaço.
    Um abraço.

    ResponderEliminar
  2. O John continua anónimo, ahahahahaha
    Eu é que o desanonimei à força.

    Braça
    Djack

    ResponderEliminar
  3. A propósito de “concerto”, julgo que o emprego do termo é metafórico, mas não necessariamente, se assim quisermos. É que, embora eu não tenha vislumbrado imagens concretas que o confirmem, penso que deve ter havido pequenos e diversos grupos de instrumentistas a acompanhar o cortejo fúnebre. Seria o que, quanto a mim, mais se coadunaria com o funeral de uma grande cantora como foi a Cesária, e a fazer jus à tradição da nossa terra. Claro que, numa foto, vi um grupo deles, creio que só um, mas desconheço a dimensão e diversificação que possam ter tido. O ideal seria a sua profusão no meio do cortejo, distanciados audivelmente entre si o quanto bastasse para que cada um interpretasse as músicas cantadas pela Cesária, sem haver cacofonia. E então será legítimo pensar que se sobrepujaria a todos os grupos de músicos uma entidade abstracta a reger o concerto da saudade na hora di bai da diva. Que lindo e comovedor espectáculo poderá ter tido lugar.

    ResponderEliminar