domingo, 22 de janeiro de 2012

[0188] CENTRO HISTÓRICO DA CIDADE DO MINDELO ELEVADO A PATRIMÓNIO NACIONAL DE CABO VERDE




Aleluia, aleluia!!! Milagre, milagre!!!
Finalmente foi feita justiça à urbe do Porto Grande e do Monte Cara! O Centro Histórico da cidade do Mindelo é hoje elevado a Património Nacional de Cabo Verde (e consequentemente a Praia de Bote, também!)




19 Janeiro 2012  (in jornal "A Semana")

O centro histórico de Mindelo é agora património nacional de Cabo Verde, anunciou esta quinta-feira, 19, aos vereadores e presidente da Câmara Municipal de São Vicente, o director desta área do Instituto da Investigação e do Património Culturais, Jair Hamilton.

Com esta classificação a cidade do Mindelo passará a usufruir de um plano de preservação legal e valorização do seu património, que tem interesse histórico, arqueológico, artístico, científico e social, a ser elaborado em conjunto pelo Estado, autarquia e munícipes.

O anúncio ao povo mindelense será feito no domingo, 22, dia do município de São Vicente, por Mário Lúcio Sousa, ministro da Cultura, durante a sessão solene em comemoração dos 550 anos de descobrimento da ilha do Porto Grande.

Além de Mindelo, neste ano também serão classificadas como património nacional a zona do Plateau, na capital Praia, a cidade de Nova Sintra, na ilha Brava, e a Baixa de São Filipe, no Fogo. Classificações que resultam do inventário do património nacional feito em 2011 pelo IIPC.

O momento é de enorme alegria e por isso o PRAIA DE BOTE interrompe a viagem a Santo Antão para as devidas comemorações. Como não podia deixar de ser, regozijamo-nos com esta notícia, esperando que o galardão anunciado constitua de facto início de um novo ciclo de prosperidade da ilha de S. Vicente e afaste de vez o conjunto de malfeitorias que lhe têm sido feitas, nomeadamente na área de lesa-património. Sendo possível que S. Vicente tenha tido miraculosa influência na decisão que já tardava, aqui vai (e no dia em que o mesmo se comemora) uma fotografia da veneranda imagem do santo presente na igreja de N.ª Sr.ª da Luz.



5 comentários:

  1. O momento é de regozijo mas não podemos esquecer o vandalismo, a falta de visão (e/ou concupiscência?) que nos deixam sem o Fortim d'El Rei, o Éden Park e a mansão secular do Dr. Adriano Duarte Silva.
    Esperemos que a Edilidade actual compreenda essas três perdas e trabalhe no sentido de dar alma à cidade do Mindelo que descaracterizam paulatinamente.
    Força Soncente !!!

    ResponderEliminar
  2. Esta decisão, que certamente se saúda, deixa-nos um travo amargo que se reflete no aforismo "depois de casa roubada, trancas na porta"...É essa a ideia que se extrai do comentário do Valdemar, que subscrevo em toda a sua dimensão...Que o futuro possa renegar o passado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigos Val e Zito, ainda há muito para preservar e proteger no nosso Mindelo. Pois que se preserve e proteja! Passado é passado. Portugal, muito mais avançado neste domínio, também conta com IMENSOS crimes de lesa-património, perpetrados por interesses obscuros de gente sem escrúpulos... culturais. Mas não choremos sobre o leite "neste caso, grogue" derramado. Para a frente é que é o futuro. Este é um começo. Que ele seja de esperança, combate e inteligência.

      Braça patrimonial,
      Djack

      Eliminar
  3. Como não pode deixar de ser, associo-me ao regozijo geral por esta decisão, e materializando-o com um abraço ao Joaquim, ao Val e ao Zito.
    Pena é não ter sido, de facto, mais cedo, pois teria sido possível evitar os crimes de lesa-património que se cometeram, aqui referidos pelo Val. Agora só resta salvaguardar o que existe. Penso que o primeiro passo deve ser proteger a traça da morada, não mais se autorizando aqueles "acrescentos" esquisitos que vêm sendo feitos em algumas habitações.

    ResponderEliminar
  4. É pena que MINDELO de Histórico a preservar, em termos qualitativos resta muito pouco.Num raio de 500 metros com centro do compasso no Praia de Bote,é só ver o que de Histórico foi destruído. A Baía do Porto Grande sem os símbolos dos tempos do tempo do carvão, é como dizia o outro "uma noiva sem grinalda". Isto já vem de há muitos anos. E é pena porque as Autartícas estão a porta, e é preciso fezer mais qualquer coisa para suavisar o marasmo que a ilha se encontra a já algum tempo. "POLÌTICAS". E assim vamos nós cantando e rindo.Como disse o Sr. Joaquim Saial não valha pena chorar sobre o leite. O Futuro dirá.
    UMA BRAÇO

    ResponderEliminar