sábado, 19 de janeiro de 2013

[0316] Amílcar Cabral foi assassinado há 40 anos ----- Selecção de Cabo Verde empata com África do Sul, num grande jogo em que se revelou superior

Imagem Fundação Mário Soares
Perfazem-se a 20 de Janeiro de 2013 40 anos sobre a morte de Amílcar Cabral  (Bafatá, Guiné-Bissau, 12 de Setembro de 1924 - Conacri, Guiné Conacri, 20 de Janeiro de 1973). Pai espiritual das novas pátrias da Guiné e de Cabo Verde, nascidas em 1973-1974 e 1975, respectivamente, foi um dos mais destacados políticos/ideólogos/nacionalistas/guerrilheiros da África moderna.

PRAIA DE BOTE lembra as notícias do assassinato saídas no Diário de Notícias de New Bedford (EUA) e no Diário de Lisboa da capital portuguesa. Divulgamos também, uma imagem do seu mausoléu em Bissau.

Ainda hoje é nebulosa a identidade dos mandantes do assassinato, em geral dividida entre a portuguesa PIDE e camaradas seus que o terão traído. O PRAIA DE BOTE salienta a qualidade de Amílcar que via como principal inimigo o governo de Lisboa da época e não o povo português que estimava e em cuja língua escrevia - inclusive poesia, de boa qualidade.

Diário de Notícias, de New Bedford - 23.Janeiro.1973


Diário de Lisboa, Lisboa - 22.Janeiro.1973  
LER DE CIMA PARA BAIXO




Mausoléu de Amílcar Cabral em Bissau



CABO VERDE ESTREIA-SE COM EMPATE 0-0 A SABER A VITÓRIA NO CAN'2013 CONTRA A ÁFRICA DO SUL. PARABÉNS CABO VERDE, PARABÉNS TUBARÕES AZUIS!!! 
Ver crónica no Liberal. Clique AQUI


1 comentário:

  1. Creio que nunca será devidamente esclarecido o assassinato do Amílcar Cabral. A verdade é que o sonho que ele acalentou não teve bom desfecho. Primeiro, o seu assassinato, depois, o insucesso da autonomia da Guiné. Em boa hora o PAIGC/Cabo Verde se desenlaçou da unidade idealizada pelo líder.
    Parabéns à selecção de Cabo Verde. Vamos ver agora os próximos jogos.

    ResponderEliminar