sexta-feira, 12 de julho de 2013

[0500] Comemorações do 500.º post - VER POST ANTERIOR

No post 500, para além do fogo-de-artifício que está a rebentar no Porto Grande e ilumina feericamente a Praia de Bote, três (grandes) agradecimentos:
1 - Aos que nos visitam e participam no blogue com os seus comentários.
2 - Aos que colaboram connosco, enviando textos e as imagens da nossa ilha e de Cabo Verde, em geral.
3 - Aos que aqui vêm e não participam com comentários. É pena, mas pelo menos também fazem parte dos banhistas desta praia tchei d' stil.


6 comentários:

  1. Que estes prineiros 500 sejam o prenuncio de muitos mais, sempre na defesa da terra e das gentes a quem devemos uma parte importante da nossa formação de homens íntegros, amantes da beleza e do saber, amigos de seus amigos, MNIS DE SONCENTE PA TUDO SEMPRE!!!
    Um abraço do tamanho da alma!
    Zito

    ResponderEliminar
  2. Aí está, aí está! Em poucas palavras, D. Zito disse tudo. Ou não fosse ele radialista encartado.

    Braça mindelense,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Nunca pensei que na minha idade iria interagir com pessoas que nem fazia a mínima ideia de sua existência, mas que compartilhávamos as mesmas emoções, os mesmos sentimentos, dum mesmo lugar virtual agora, mas que em tempos de "diáza" foi real e que se chama PRAIA DE BOTE de rua de praia de plurim d'pex.
    Desejo, neste dia em que se comemora os 500.º post. dar os parabéns aos seus promotores, e que venham mais, muito mais QUINHENTOS.

    UM ABRAÇO DOS QUINHENTOS

    ResponderEliminar
  4. A ideia tida no arranque do "Praia de Bote" foi trazer para este espaço um manancial de recordações e dar trela à emoção para que ela fosse o despertador de um convívio aqui polarizado e expandido para limites inimagináveis. Os 500 posts demonstram o empenho do seu editor e colaboradores. O convívio não atingiu nem de longe os níveis pretendidos, mas suponho que, ainda assim, há um qualquer subentendido na visita que muitos, mas muitos, nos fazem, mesmo que não deixem a palavra viva de um qualquer testemunho. É que nesse silêncio talvez exista muito mais do que pensamos. Ao longo da minha vida,que já vai sendo longa, conheci pessoas que não precisavam de falar muito para me fazerem sentir o fundo da sua alma. Por vezes bastava a comunhão de um silêncio, em que o olhar se tornava a janela aberta para todas as exteriorizações.

    ResponderEliminar
  5. Junto-me aos anteriores banhistas da Praia de Bote para, num tchelûf, felicitar o Patrão-Mor do blog por este número redondo de posts. Venham outros tantos evárias vezes para nosso deleite, satisfação e regozijo do amigo Djack de Captania :-) Braça pertód!

    ResponderEliminar
  6. O Pd'B agradece a todos que aqui deixaram uma palavra de simpatia.

    Braça quinhentista,
    Djack

    ResponderEliminar