segunda-feira, 29 de julho de 2013

[0524] Um poema esquecido sobre a viagem de Gago Coutinho e Sacadura Cabral e sua passagem por Cabo Verde

A viagem que pela primeira vez ligou por meios aéreos Portugal ao Brasil teve início a 30 de Março de 1922 e durou nada menos que 79 dias, com várias peripécias pelo meio que levaram a reparações em Cabo Verde (de 5  a 17 de Abril, no Mindelo e na Praia) e depois à substituição da nave que perdeu um dos flutuadores já perto do final. Mas não é desse feito em si, altamente celebrado em Portugal e Brasil, que este post trata. Ele destina-se apenas a mostrar que um ano depois ( e até hoje), ainda continuava bem presente no orgulho nacional, de modo que para o celebrar se fizeram diversos monumentos (dois no Mindelo, na altura, e um em tempos recentes e vários noutros locais de Portugal e Brasil), postais ilustrados e textos de diversos tipos na imprensa.

É um desses casos que aqui trazemos hoje, de "A Paródia", periódico humorista ao género dos de Rafael Bordalo Pinheiro - cujo título glosa uma das suas publicações e cujos desenhos em muitos casos dos dele se aproximam, assinados por um tal Adão... No último dos escassos quatro números, de 19 de Janeiro de 1923, lá vinha o "Fado da Paródia", assinado por Caim, onde o nome do arquipélago é citado (local de ceia, por via da fome com que os aviadores vinham...). Uma curiosidade, apenas, e... curiosamente curiosa: terá a ceia sido uma cachupa guisada com ovo estrelado?



2 comentários:

  1. Como o cabo-verdiano o portugês
    é bem humorado e um bom freguês.
    Tem sua piada e é mesmo inteiro
    mesmo à rasquinha, sem dinheiro

    ResponderEliminar
  2. O humor poético luso-cabo-verdiano, directamente de Tours para o mundo.

    Braça humorística,
    Djack

    ResponderEliminar