sábado, 3 de agosto de 2013

[0531] Bana, ainda e sempre

A memória do bom gigante continua fresca, a sua voz não se apagou nos nossos ouvidos, nem se apagará. Da longa discografia de Bana, uma vez por outra, aqui traremos alguns materiais. Eis um EP (ou single?), produzido na Rua Senador Vera-Cruz 42, Mindelo, mas fabricado em Paris, em edição de VCV (Voz de Cabo Verde?). Duas coladeras de Luís Morais e uma morna de Jack de Carmo e Manuel Telégrafo constituem o recheio da peça. Repare-se na falta de acentuação (emendada manualmente nos títulos e corpo dos poemas, mas esquecida em baixo), dado que tal como o disco a capa deve ter sido feita da cidade-luz. Vamos ouvi-lo?...




2 comentários:

  1. Louvável a iniciativa do Djack, através do Praia de Bote, de refrescar memórias com músicas que são menos ouvidas presentemente e até são desconhecidas por muitos desta geração.

    Pena ser homenagem póstuma do cantor e, ao mesmo tempo, dos autores e compositores mencionados nos quatro números do LP.

    Aproveito a oportunidade para esclarecer: as letras da morna "Lora" (crioulo de loura) não são de Manuel do Telégrafo (nome o pai de Djack) mas de João do Telégrafo cujo o nome era João Duarte Almeida (por sinal tio do Morgadim), autor de varias letras, nomeadamente a marcha "New Zeland Star", musicadas pelo violinista que foi Joaquim do Carmo Silva ou Djack de Carmo autor-compositor da outra bela morna "Laura".

    ResponderEliminar
  2. Falou o expert que dá sempre o seu contributo firmado em longos anos de sabedoria acumulada.

    Braça agradecida,
    Djack

    ResponderEliminar