quarta-feira, 27 de novembro de 2013

[0640] Rapazes Karantónis atacam musicalmente em versão reggae no Mindelo

Em nota de imprensa enviada para o Pd'B ficámos a saber que três rapazes Karantónis e alguns amigos se preparam para lançar muito brevemente o disco "Right Now!" no Mindel Hotel, ali bem perto da Praça Nova. O evento é de reggae, género musical da Jamaica por eles adaptado ao sentir de Cabo Verde. Enveredar por caminhos marleianos e toshianos em terras de cachupa, não desagrada ao Pd'B, nem é crime cultural. Cada um toca no estilo de que gosta e a mais não é obrigado. Com a vantagem de estes boises terem matriz europeia que passa pela Grécia dos seus ancestrais, dois dos quais o Pd'B teve o prazer e honra de conhecer, o Jorge e a mana Katy. Não percebe é o Pd'B aquele DOMU do nome, talvez corruptela da "domus" latina, se é que o título pretende dizer "Casa de África". Nem o "inevitável "k", que nem sequer existe na versão inglesa da palavra. Mas se calhar reggae assim oblige... Aqui fica portanto a propaganda ao trabalho deste promissor grupo mindelense, com desejos de grande sucesso.

NOTA DE IMPRENSA
Grupo de Raggae DOMU AFRIKA lança disco de estreia "RIGHT NOW!"


"Right Now!" é lançado a 6 de Dezembro, sexta-feira, às 22 horas, no Mindel Hotel, cidade do Mindelo. É o disco de estreia deste grupo de reggae fundado na cidade do Mindelo em 2005, cujo lema é a liberdade de pensamento e acção.

O álbum traz 12 faixas musicais, em inglês e língua cabo-verdiana. É o resultado de várias experiências de captação de som, em três home studios, nas ilhas do Sal e São Vicente.

"Right Now!" traz a marca de um reggae cabo-verdiano, que se afirma como música de intervenção social, além da celebração do estilo "dub" com nuances de ritmos cabo-verdianos.

PARA OUVIR MÚSICAS DOS DOMU AFRIKA: https://soundcloud.com/domu-afrika

DOMU AFRIKA é um projecto de reggae music da cidade do Mindelo constituído por cinco músicos: Luís Karantónis (baixo), Jorge Karantónis (bateria) e Nuno Karantónis(guitarra), fundadores da banda, juntamente com Hélio Soares (teclas) e Edson Oliveira (vocalista).

Depois de alguns anos a tocar em palcos nacionais DOMU AFRIKA,  participou no concurso musical Vis-a-Vis, que lhe deu passaporte para representar o reggae cabo-verdiano em grandes festivais como WOMAD, na cidade de Carseres, e o Africa VIVE, em Madrid, Espanha.

É através do reggae que DOMU AFRIKA dá voz ao poder da palavra, da intervenção social e celebração da vida através da música enquanto linguagem universal.

Página no Facebook: https://www.facebook.com/domuafrika

6 comentários:

  1. Desejo muito boa sorte aos rapazes. Embora gostar muito de mùsica(s), ainda não consegui adoptar o estilo reggae. Bem, cada um com sua preferência. O mesmo sucede com a letra "K" (o "W" e o "Y"). Afinal temos tanta coisa bonita...
    Cà fico com costumes ancestrais
    Com um braça

    ResponderEliminar
  2. Em vez do latim, o pessoal deveria ter escolhido o "grego" pois estou a ver que é tudo malta descendente do meu querido amigo Jorge Grego, ou Georgios Karantonis, atraves dos filhos Uriana, Rafael e Luis...Que tenham êxito, de preferencia sem kapas...

    ResponderEliminar
  3. Sabemos que estamos a viver num mundo em constante evolucao. Ha gosto para tudo e cada um escolhe o que melhor lhe convem. Sucesso para o grupo mesmo com o k.
    e que o mindelense possa possar momentos agradaveis com o lancamento do Right Now.
    Mantenhas,
    Nita Ferreira

    ResponderEliminar
  4. A, HOJE SENHORA, CHAMA-SE, "URANIA" E NÃO URIANA...AS M/ DESCULPAS PELO LAPSO, QUERIDA AMIGA...

    ResponderEliminar
  5. Tomo nota da novidade e fico na expectativa. Passaria por bota-de-elástico se apresentasse aqui alguma desconfiança sobre a intromissão na nossa música de algo que não está no seu ADN. Como diz a Nita Ferreira, e bem, o mundo está em constante evolução e, como é assim, a música dificilmente ficará de fora. As fronteiras esbatem-se, as línguas convivem umas com as outras, as gastronomias misturam-se, e as músicas atravessam o espaço a uma velocidade inaudita. É o que alguns designam como multiculturalismo, o que talvez leve a pensar que daqui a um milénio o homem estará completamente uniformizado na mentalidade e nos usos e costumes.

    ResponderEliminar
  6. Afinal, os rapazes são Karantonis GONÇALVES, filhos do meu grande e saudoso amigo Arnaldo (Naldinho) Gonçalves, (irmão de Nhô Roque) e de sua esposa Katina Karantonis, irmã do já aludido Jorge Grego...Agora já estou despreocupado...E viva a música, que Naldinho era um grande pianista, pelo que não admira a vocação dos filhos!

    ResponderEliminar