sábado, 4 de janeiro de 2014

[0673] "Outro lado de São Vicente": talvez o vídeo mais triste de sempre do Praia de Bote...

Por motivo que desconhecemos, não nos foi possível carregar o vídeo, ao contrário do que é habitual, mas o mesmo pode ver-se AQUI


5 comentários:

  1. É triste, bem triste, o que ali se vê. Um submundo que já devia ter sido erradicado, a aflorar no dito "médio desenvolvimento".

    Braça sem mais nada,
    Djack

    ResponderEliminar
  2. Quando o recebi, mandei de imediato aos amigos porque não pude guardar tanta tristeza so para mim. Pior ainda é pensar que, em vez de ajudar essa gente, pensam em construir cidades administrativas ceocesquianas, aeroportos e universidades em lugares onde podiam dispensar pequenas màquinas agricolas e canas de pesca, quanto mais não seja para a auto suficiência.
    Hà quem muito tirou em terras menos férteis que nos ajudaria se pedissemos porque fazem-no aos que humildmente solicitam conselhos.
    Até quando vai durar este espectàculo funesto em pleno século XXI?
    Bom domingo "quand même".
    Braça

    ResponderEliminar
  3. Fiquei com dores de barriga ao ver isto, cenas de outros tempo de caiquinha, prova mais cabal do estado do abandono da ilha e daquilo que se passa para além do cinto periférico da cidade. Pergunto-me mais quantas décadas de sub-desenvolvimento tem que aturar eta ilha mais 50? Os mindelenses em pleno Sec. XXI bem mereceiam mais e melhor e podíamos ter resolvido estes problemas sociais e ser uma grande-ilha cidade no atlântico. Helas civilizacionalmente andamos um século traz ao ponto que o mindelenses é hoje irreconhecível . Mas que fazer? Que caminhos devem sendo trilhados para contrariar este destino
    O Val tem toda a razão mencionar as megalomanias contrastando com este filme deprimente.

    ResponderEliminar
  4. Comentei esta reportagem em mail mas agora até me constrange voltar a falar do assunto. Essa gente é uma mostra dos que nada ganharam com a independência e os níveis de progresso que se registaram em muitos sectores. E pensar que há quem viva na nossa terra com altos rendimentos e consegue dormir de consciência tranquila. Estou a ver que a minha sobrinha vereadora do pelouro da segurança social tem muito trabalho a fazer. Infelizmente, o dinheiro é muito pouco para as necessidades, conforme me disse no ano passado, ainda antes de tomar posse.

    ResponderEliminar