segunda-feira, 10 de março de 2014

[0770] Notícias de Cabo Verde - Turismo de cruzeiro em Cabo Verde quase que duplica em 2013

Foto e notícia in Jornal da Madeira
O turismo de cruzeiro cresceu em todos os portos de Cabo Verde durante 2013, com um expressivo aumento de 96% de navios e 98% de passageiros, prevendo-se "perspectivas animadoras" para este ano, refere hoje uma nota oficial.

Dados da empresa Nacional de Portos de Cabo Verde (Enapor), que vai participar na Seatrade Miami, que decorre de segunda a quinta-feira naquela cidade norte-americana, indicam que os diferentes portos do arquipélago foram, em 2013, escala para 157 navios de cruzeiro, que trouxeram 75.653 visitantes.

Segundo a Enapor, as perspectivas são "animadoras" para 2014, já que se prevê a escala de 165 navios de cruzeiro, com 76.250 passageiros, que, maioritariamente, irão atracar nos portos do Mindelo, com 61 paragens, e Cidade da Praia, com 42.

Os dados serão apresentados pela empresa cabo-verdiana na Seatrate Miami, a maior feira de cruzeiros do mundo, na expectativa de convencer os mercados de que Cabo Verde possui dois portos modernos (Cidade da Praia e Mindelo), que podem receber em simultâneo três navios de cruzeiros de diversos tamanhos.

A Enapor vai ainda informar que os operadores nacionais estão a trabalhar para que os navios de cruzeiro possam aportar com maior frequência nas restantes ilhas do arquipélago - Santo Antão, Sal, Boavista, Fogo, São Nicolau, Maio e Brava -, tendo em conta a evolução do sector de turismo e hotelaria no país.

Segundo o comunicado, a Enapor vai elaborar ainda este ano mais um estudo de mercado e melhorar o acolhimento dos turistas.

Citado hoje na edição "online" do jornal cabo-verdiano A Semana, Luís Carvalho, sócio e director da B&A Europa e consultor do projecto de turismo de cruzeiro de Cabo Verde desde 2009, indicou que o crescimento é o "resultado de um bom planeamento, execução e trabalho" dos actores envolvidos.

No entanto, admitiu, "há ainda muito trabalho a ser feito a nível local", apesar de o Governo estar a intensificar o seu apoio".

A longo prazo, concluiu Luís Carvalho, o objectivo é expandir gradualmente os itinerários, incluindo outros países da África Ocidental e Central que estão interessados em copiar o sucesso de Cabo Verde.

5 comentários:

  1. O turismo é um filão que não pode ser negligenciado mas que necessita de infraestruturas e projectos de animação em constante evolução...A oferta é que tem que fomentar a procura e não o conrário...É necessário fomentar actividades complementares, como o artesanato, a culinária, o folclore, para além do sol e das praias..E, sobretudo, é necessária muita imaginação e força de vontade pois fomentar o turismo é uma luta permanente, sem tréguas, se quizermos que ele seja rentável...Mãos à obra que se vai fazendo tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...Escrevi "quizermos" mas quero dizer "QUISERMOS"...As m/ desculpas!
      Zito

      Eliminar
  2. Exacto, exacto e... exacto! Há que dar coisas agradáveis aos turistas que saem a caminho do Mindelo. Esplanadas, cafés, boas lojas, percursos pedestres e motorizados e mais mil e uma coisas que não abundam por enquanto na terra. Ah!... e uma arquitectura que não passará nunca por mamarrachos e monos como os que se erguem a pouco e pouco sobre as ruínas da arquitectura colonial, mamarrachos e monos de que os turistas fogem a 14 pés...

    Braça mindelense com esperança,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Amigos o turismo bem explorado pode ser a fonte de muitos recursos e de trabalho/emprego. O que é preciso é muito trabalho e investimento nesta indústria, para se adquirir competências. E sobretudo boas parcerias com quem já sabe do 'metier' pois esta coisa de inventar a roda perde-se muiro tempo

    ResponderEliminar
  4. Os intervenientes dissera tudo o que eu poderia dizer. Sublinho esta observação do Zito: ".A oferta é que tem que fomentar a procura e não o contrário."

    ResponderEliminar