terça-feira, 3 de junho de 2014

[906] Nunca digas nunca (ver título do post anterior) ou a obrigação de publicar um texto que é um luxo

Texto sobre o "Clube Sportivo Mindelense, Campeão" de Rocca Vera Cruz, no Facebook

Praia de Bote, com sede do Mindelense à esquerda - Foto José Carlos Marques

Depois de ler tantas coisas nestes últimos dias sobre a pseudo alienação dos cabo-verdianos por causa do Benfica, tenho que voltar a ler, urgentemente, Franz Fanon, Eduardo Galleano, Desmond Morris e Batta. Ou seja, preciso reler sobre o complexo fenómeno do futebol e sobre o complexo complexo de inferioridade que vem tomando conta de algumas consciências por aqui [o autor refere-se ao Mindelo e por extensão a Cabo Verde]. Não vou jurar passar a ler só escritores crioulos, a vestir fatos de pano di terra, a beber gin com água de coco, e, já agora , também não passarei a ir à Torrada porque estão a acabar com o Caizim. Não, isso não. Mas vou tentar posicionar-me em relação a umas coisas que venho lendo. Vi algures, e não vou procurar onde porque este tema já me cansa, que o cabo-verdiano prefere o glorioso Benfica ao Mindelense porque este é de uma infame rua de botes, sem glória, sem luz, sem catedral!!! Essa infame rua de botes, ou seja a Rua da Praia, que, segundo Joaquim Saial é 'o coração mais genuíno da cidade do Mindelo' , espelha bem o que é Mindelo e o Mindelense: uma mescla de catraeiros, peixeiras, pescadores, ateliers de pintura (Tchalé Figueira), botequins, batoteiros, restaurantes, gasolineiras, supermercados e por aí vai... O Mindelense é também o clube da família Serradas (César Arnaldo Carvalho Serradas), do Sr. Ricardino Vasconcelos, do Sr. Dadal sem deixar de ser de Nharibul, Clament Pertá Puxe, Aibú, Scuik, Taivon, Xica de Cucuta, Mari Salema e tantos outros. Essa mistura, que faz de nós um povo diferente, que, até certo ponto, ri para não chorar (porque depois, 'loreta ta sentá pele'), é que é a luz e glória desse clube mítico cuja catedral se situa na emblemática Rua da Praia.O Mindelense, amigos, é de uma cidade cosmopolita que inspirou e inspira um enorme número de poetas, escritores, músicos e que acolhe desde há muitos anos uma grande diversidade de estrangeiros tendo gerado por isso uma cultura aberta ao mundo. Para nós, gostar do outro não implica deixar de gostar do que é nosso. 'O outro' faz parte de nós, convivemos diariamente com ele. Sei que, para muitos, este tipo de atitude é incompreensivel, preferem ou só compreendem a sentença maniqueísta! O povo mindelense, esse, tem tido e vai continuar a ter a capacidade para enfrentar conscientemente as contradições geradas no seu próprio seio e, aproveitando a energia dessas contradições, resolvê-las. Do Benfica ao Sparta de Rotterdam, do FCPorto ao Nhagar, do Sporting da Praia ao Chelsea, do Cantareira aos Veteranos da Praia, todos têm lugar aqui e são ben-vindos. Pu Brito é nosso, assim como o Adriano Barbosa, o Nhambu, o Toy Adão, o Garay e o Mangala, o Vave, o Simão e o Djosa de Fausta. Germano Almeida, João Branco, Baltasar Lopes e Fátima Bettencourt são igualmente nossos. Soncent ê isto, Soncent ê ot cosa!

Praia de Bote regozija-se com este texto, abraça o autor e deita foguetes de contentamento. Praia de Bote também convive muito bem com o Mindelense e o Benfica. Praia  de Bote também convive muito bem com as suas duas terras, Vila Viçosa e Mindelo (não esquecendo a que o adoptou verdadeiramente, de papel passado, a Cidade Velha), Praia de Bote até acha (e decerto não se engana) que cabo-verdianos e alentejanos ês é tude mêm cosa, tude gente drête e sabim... tal como os benfiquistas e os mindelenses do Clube Sportivo.

Viva o Benfica!
Viva o Mindelense!
não, enganei-me...
Viva o Mindelense!
Viva o Benfica!
não, é melhor ao contrário...
Viva o Benfica!
Viva o Mindelense!
não, tem de ser como antes...
Viva o Mindelense!
Viva o Benfica!
não, a melhor maneira é esta:
Viva o Mindefica e viva o Bendelense!!!

3 comentários:

  1. Bem, mi ê d'acorde d'o que Sr. Serge dzê: "Soncente um tempe era sabe". Era até antes desse morna.
    Nô festejà Mindelense-clube ta esperà pa Mindlense-cidade.
    Viva tude gente !!!

    ResponderEliminar
  2. Só digo que foi sabim de ler.
    Não tenho tido tempo de aparecer no PdB por ter andado numa grande azáfama com a revisão do livro dos regionalistas. Ufa, já entreguei o produto.

    ResponderEliminar
  3. E agora so' falta pôr a rodar o disco Mindelense!Mindelense!, homenagem dos cabo-verdianos mindelenses de França.

    ResponderEliminar