terça-feira, 5 de agosto de 2014

[1000] Três anos e meio, 999 posts e mais de 145.000 visitas depois, aí está finalmente o 1000 e um super-concurso - Veja o recente e imensamente triste post 999 (uma "curta" de Zeca Soares)



Temos vindo a antecipar o milésimo número nos últimos dias e por isso não vamos gastar muitas palavras com o assunto. Ele aí está, o post 1000, com outros 999 atrás que se devem a infinito tempo de dedicação pela causa de nôs terra. Um simples post como este leva por vezes várias horas de pesquisa, tratamento de dados, redacção, arrumação estética, até tradução, enfim, de paciência... Mas sempre com gosto e com dedicação quase exclusiva ao Mindelo e a São Vicente - o que neste espaço maritimo em última análise interessa. Inevitável é, neste momento de festa, agradecer aos amigos mais dedicados, Adriano, José, Val, Zeca e Zito e de igual modo a um ou outro que por aqui surge episodicamente. Todos eles também deram ao Pd'B muito daquilo que ele tem sido, é e continuará a ser. Um abraço colectivo e, com semelhante discurso, só voltaremos no post 2000.



Dentro em breve, daremos mais notícias da Miss Jovem Cabo Verde de 1973. E de uma cantora dos nossos dias, em importante e meritório destaque internacional e do Gil Eanes (estas últimas, amanhã de manhã). Depois, faremos uma das nossas paragens sabáticas para novo artigo... do "Terra Nova" e para o prosseguimento da organização do livro que temos em mãos. Trabalho e mais trabalho, mas sabe, sabim...

CONCURSO N.º 23 (DE ANIVERSÁRIO)

Três questões. Se responder a uma, recebe um ramo de acácia; se responder a duas, ganha dois ramos; se responder às três, obterá cinco ramos. Ou seja, tem sempre possiblidade de aumentar o seu score, muito ou pouco, conforme a sabedoria do momento. Se pontuar, terá uma prenda especial, de extraordinária suculência teatral e cinematográfica. Um petisco d'trá tchapéu. Esmere-se...

Responda de modo claro e se por acaso desejar repetir, para melhorar a resposta, volte a colocar tudo de novo. Recomendo-lhe que escreva em word e grave, para poder emendar à vontade, e depois então lançar aqui a resposta já limpa. Ou então, escreva logo aqui. Como desejar... Serão aceites respostas até às 16h00 de amanhã.

Questão 1 

Temos nesta paisagem desoladora vários indivíduos e dois burros. A cena passa-se em São Vicente, provavelmente no início do século XX. Em fundo, na imagem original (que foi cortada) estão três famosos locais da ilha. Enumere-os.


Questão 2

Indique oito esculturas de arte pública existentes em São Vicente antes da independência. Uma delas é semi-pública. Não se refira ao cruzeiro da Rua de Coco (também conhecida por largo ou pracinha de Cruzeiro) pois não se trata de escultura. Aceita-se como resposta certa cinco exemplares. Mas se alguém responder a mais, com 6, 7 ou 8, essa pessoa vencerá.


Questão 3

A obra mais conhecida da literatura cabo-verdiana tem como primeiras referências toponímicas uma localidade, um país e uma ilha. A derradeira palavra do livro alude ao mesmo país. Que país é esse?




Nós sabíamos! Nós sabíamos que o nosso maior admirador não se ia esquecer. Obrigado, Djosa, bô é fixe. Manhã m'ta pagabo um grog lá na Boca d'Tubaron.

10 comentários:



  1. Questão 1

    Augusto Vera-Cruz, José de Matos, Ricardo José Serradas.

    Questão 2

    As estátuas de Diogo Afonso, de Luís de Camões, de Serpa Pinto, de José Lopes, de Adriano Duarte Silva, o Padrão a Diogo Afonso, o antigo obelisco da Praça Estrela, o Monumento (Águia) de homenagem a Gago Coutinho e Sacadura Cabral.

    Questão 3

    América

    ResponderEliminar
  2. Não me posso pronunciar, pois o concurso desta vez é ligeiramente diferente. Mas recomendo ao Adriano que leia bem as perguntas, nomeadamente uma delas. Não posso dizer qual.

    Só digo que o obelisco da Praça Estrela não era um monumento escultórico. E o padrão a Diogo Afonso, em Montevideu, apesar de ter tido um escudo esculpido, em bronze, não se pode considerar um monumento escultórico com toda a propriedade.

    Posso é dizer que o Adriano está bastante bem encaminhado para arrecadar uns belos pontos. Mas até amanhã às 16h00 ainda há muitas possibilidades de dar uso à memória.

    Recomendo de novo a leitura atenta de uma das perguntas que resultou mal respondida por não ter sido observada com cuidado.

    Djack

    ResponderEliminar
  3. O tal escudo em bronze, depois da destruição do padrão a Diogo Afonso foi parar à base da estátua do mesmo Diogo Afonso, onde ainda se encontra. Como o Adriano já falou destas peças, eu também posso falar...

    ResponderEliminar
  4. Atenção, não confundir estátuas com bustos, mas isso é coisa que não retira pontos (ou ramos de acácia) a ninguém. É só para precisar.

    ResponderEliminar
  5. Eu não vou ganhar nem uma raminha de chalutêra
    Vou esperando

    ResponderEliminar
  6. Não percebo porque é que o Zito, o Djosa de nha Bia, o Naise Tcher d'Grog e o Manecas Gongon ainda não disseram nada...

    Não percebo mesmo. Cheira-me a marosca.


    Braça desconfióde,
    Djack

    ResponderEliminar
  7. Eu também não estou a perceber patavina, Dajck. Assim como também não percebo como me vou conseguir desvencilhar destes liames com que ataste as minhas dúvidas neste concurso.
    Tenho dado voltas à cabeça mas não consigo descobrir ou confirmar bem os nomes daqueles cavaleiros de burro. Também não consigo lembrar-me de mais esculturas, coisa assim exposta na via pública. Ainda por cima tramaste-me com essa de que busto é busto e estátua é estátua, e logo aí privaste-me de umas 4 hipóteses. Estou tramado, rapaz. Mas na última questão não encontro outra resposta que não seja aquela que coloquei. É caso para se dizer que isto está mesmo um caso bicudo.
    Sucede que vou ter de viajar até lá para o sol poente, pelo que só depois voltarei a dar umas remadas de bote. Entretanto é possível que apareçam uns rocegadores de carvon nhocasse e descubram alguma coisinha especial no fundo do mar.

    ResponderEliminar
  8. Caro Adriano:

    Não estás nada tramado. O que tu persistes é em não ler bem uma das perguntas que está mais que clara e não oferece dúvidas. LÊ-A BEM!

    Para além de que não se pediu para dizer os nomes dos cavaleiros/burreiros - os quais aliás nem eu sei nem isso interessa.

    E também não leste bem a stóra busto/estátua, posta por mim num comentário. Eu disse logo que isso não tem importância para as respostas e que se tratava apenas de uma precisão técnica minha. É que, tanto busto como estátuas ou esculturas que não sejam nem uma coisa nem outra podem ser arte escultórica pública. Portanto, esquece essa do busto/estátua que no presente caso não interessa para nada.

    E estás a esquecer-te de duas peças, entre as quais a tal semi-pública e numa das apontadas meteste água pois o nome está errado.

    E por fim, digo que sem estares a 100% não estás nada mal...

    Braça escultórica,
    Djack

    ResponderEliminar
  9. Isto é demais para a minha tenra idade...Deixo o concurso para a gente crescida!
    Braça asnático
    Zito

    ResponderEliminar
  10. Sempre estou para ver quantas teclas do computador o Zito irá partir quando souber que o que escreveu neste seu lamento nada tem a ver com a facilidade que realmente as respostas apresentam. São daquelas que até um codê nascido hoje no Hospital Baptista de Sousa poderá responder...

    Essa mania de que eu proponho respostas complicadas é pura ilusão. E essa mania de que é preciso ter 345 anos para acertar é outra...

    Vamos mas é ler isto atentamente e responder, porque... é facílimo!!!!

    Braça à espera,
    Djack

    ResponderEliminar