terça-feira, 7 de outubro de 2014

[1097] Manuel Lereno, também cabo-verdeaneou - ou não fosse ele de Vila Viçosa (mesmo que quase... por acaso) - Ver também post anterior

Na pesquisa para a palestra que apresentarei no próximo sábado em Vila Viçosa sobre a figura de Manuel Lereno, actor de teatro, cinema e rádio, encenador, docente, tradutor de teatro, etc., dei com esta pérola do meu patrício acidental (nasceu ali devido ao facto de a mãe estar a acompanhar o pai, oficial do Exército em comissão na terra dos duques).

Trata-se do script do programa radiofónico "Música e Poesia", de Rachel Bastos, com Maria Germana Tânger e Manuel Lereno. Quanto às belas cabo-verdianices que se ouviram a partir das 22h35 desse longínquo 24 de Agosto de 1960, lançadas pelo éter da lisboeta Emissora Nacional, o leitor... que as leia. De Jorge Barbosa a Oswaldo Alcântara (Nhô Balta), há ali do melhor. Já lá vão 54 anos...














5 comentários:

  1. Estamos perante uma preciosidade para os amantes de história e de cultura

    ResponderEliminar
  2. Desconhecia esta personagem, Joaquim, pelo que é bom ficar a saber.

    ResponderEliminar
  3. Nunca ouvi falar deste artista.
    Boa escolha, como sempre, para
    revivar a nossa Cultura com os
    lindos poemas

    ResponderEliminar
  4. Não sei ... mas será da família do Dr. Lereno?

    João Nobre de Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta cabo-verdianice do Lereno deve ter sido acidental, como o foi o seu nascimento em Vila Viçosa, filho de oficial do Exército ali colocado em Cavalaria 3 (onde este regimento, hoje sediado em Estremoz, esteve entre 1863 e 1893). Mas não podemos descartar essa possibilidade familiar, pois Lereno é apelido invulgar.

      Braça,
      Djack

      Eliminar