quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

[1401] Concurso despachado em três tempos e BEM vencido por Zito Azevedo. Mais um ramo para ele, 10 agora

O Zito não esteve com meias medidas e arrasou, tendo dado pelas duas rasteiras que eram termos colocado duas imagens recentes da Igreja de Nossa Senhora da Luz (São Vicente) e por outro lado termos mostrado os fogaréus que ali estiveram pelo menos até 1920, data mais antiga onde conseguimos chegar para esse efeito. Ou seja, a igreja de Nossa Senhora da Luz estava representada três vezes. 

Vejamos as duas imagens. Na primeira, um postal carimbado de Janeiro de 1920, temos os ditos fogaréus (ou vasos) com verdura, eventualmente cactos ou outras plantas resistentes que não imaginamos como eram regados. Contudo, posteriormente a esta data, a igreja ganhou no mesmo local dois campanários de forma inusitada, pois os olhais dos sinos são de desenho neo-árabe, com arcos em ferradura ou ultrapassados e rematados por cúpula bolbosa. De quem terá partido a ideia não o sabemos, sobretudo nesta época tardia em que esse estilo aplicado na Praça de Touros do Campo Pequeno (1892, arq. Dias da Silva), em Lisboa (e em diversos outros edifícios), já tinha passado à história.

Um braça de parabéns ao Zito que assim se aproxima paulatinamente do papa-concursos Adriano Lima que se foi deitar em vez de ter atacado logo à meia-noite quando colocámos o concurso no ar. Gente ca ta podê durmi num hora dess, rapaz... ahahahahah


Foto Joaquim Saial

3 comentários:

  1. Obrigado pelos elogios, amigo mas, como sabemos, sem a Net eu não teria lá chegado...A Net e, claro, alguma paciência e disponibilidade mental...Acho que começo a acreditar nas revelações do ultimo post do AcA sobre o comportamento do cérebro dos idosos...
    Braça, ite missa est...
    Zito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Zito, como já foi dito várias vezes, nos concursos do Pd'B vale tudo: sabedoria pessoal, net, livros, enciclopédias, perguntar ao Djosa de nha Bia, etc., etc., etc. Mas de facto, dadas as rasteiras colocadas e a dificuldade da igreja de Chã d'Igreja, este foi um dos concursos de desfecho mais rápido a que já assistimos. E vão 10 ramos. E o resto são mornas... Para concluir, parece-me que se começa a colocar em Queluz o problema que já acontece em maior escala em Tomar: casas cheias de ramos de acácia e esposas em fúria...

      Braça concursal,
      Djack

      Eliminar
  2. Este concurso valeu bastante por causa da explicação dada pelo especialista em arte. Arquivamos mais uma nos nossos cérebros já bem carregados, não é Zito? Mas aquela rasteira das 3 igrejas serem a do nosso Mindelo, é de mestre, Djack! Confesso que os meus pombos-correio levavam ordens de pesquisa para todas as ilhas.
    Quanto à Ondina, sei que anda muito ocupada com uns hóspedes lusos da sua amizade. Mas não tardará que ela apareça a competir com garra e em grande estilo.

    ResponderEliminar