sexta-feira, 31 de julho de 2015

[1613] Bento Levy, deputado por Cabo Verde à Assembleia Nacional de Portugal

Falamos do senador Augusto Vera-Cruz, falamos do Dr. Adriano Duarte Silva, mas por vezes esquecemos a figura de Bento Levy, como os anteriores grande defensor dos interesses de Cabo Verde em Lisboa. 

Aqui ficam pois uma notícia encontrada hoje no "Diário de Lisboa" de 9 de Março de 1962 e a sua biografia oficial existente no Parlamento português.



Biografia do Parlamento de Portugal

BENTO BENOLIEL LEVY

Legislaturas: VIII, X.

Data de nascimento
 1911-08-03.

Localidade
 Cidade da Praia / Cabo Verde.

Habilitações literárias
 Licenciatura em Direito (Ciências Jurídicas) pela Universidade de Lisboa
(1939).

Profissão
 Advogado;
 Jornalista.

Carreira profissional
 Fundador da Rádio Clube de Cabo Verde (1944);
 Responsável pela criação do Boletim Cultural e Informativo de Cabo Verde. (1949);
 Fundador do semanário O Arquipélago (1962).

Perfil político-ideológico
 Defensor indefectível da política ultramarina do Governo.

Carreira político-administrativa
 Administrador do Concelho da Praia;
 Director dos serviços de Propaganda e Informação de Cabo Verde;
 Director do Centro de Informação e Turismo de Cabo Verde;
 Director-técnico da Imprensa Nacional de Cabo Verde;
 Chefe dos Serviços de Administração Civil de Cabo Verde.

Carreira parlamentar
Legislaturas Círculo Comissões
VIII Cabo Verde Política e Administração Geral e Local.
X Cabo Verde Política e Administração Geral e Local.

Intervenções parlamentares

VIII Legislatura (1961-1965)

1.ª Sessão Legislativa (1961-1962)
 Faz considerações sobre problemas de interesse para a província de Cabo Verde.
 Ocupa-se de problemas de Cabo Verde.
 Presta homenagem a dois portugueses de Cabo Verde condecorados por actos de bravura em Angola.

2.ª Sessão Legislativa (1962-1963)
 Ocupa-se de problemas relativos a Cabo Verde.
 Faz considerações sobre a situação do funcionalismo de Cabo Verde e a necessidade de revisão dos respectivos vencimentos.
 Discute a proposta de lei de alterações a Lei Orgânica do Ultramar Português.

3.ª Sessão Legislativa (1963-1964)
 Requer a generalização do debate do aviso prévio sobre política ultramarina do Governo e participa nesse debate.
 Trata do problema das comunicações aéreas com Cabo Verde.
 Participa no debate sobre as Contas Gerais do Estado (metrópole e ultramar) e as contas da Junta do Crédito Público referentes a 1962.

4.ª Sessão Legislativa (1964-1965)
 Discute na generalidade a proposta de lei acerca do Plano Intercalar de Fomento para 1965-1967 e subscreve, com outros Deputados, propostas de alteração a algumas bases da mesma proposta de lei.
 Congratula-se com a anunciada visita do presidente da Fundação Calouste Gulbenkian a Cabo Verde.
 Trata de questões relativas à população de Cabo Verde.

X Legislatura (1969-1973)

1.ª Sessão Legislativa (1969-1970)
 Faz considerações sobre o patriotismo da população de Cabo Verde manifestado na recente eleição de Deputados, como prova de apoio à política de defesa da integridade nacional.
 Faz considerações sobre os vencimentos do funcionalismo de Cabo Verde.

2.ª Sessão Legislativa (1970-1971)
 Presta homenagem aos Deputados desaparecidos no desastre da Guiné e refere-se a diversos problemas da província de Cabo Verde.
 Fala, entre outros problemas, sobre o problema das secas em Cabo Verde e sobre a premente necessidade da pesquisa de água, lamentando ainda o facto de há muito estar esquecida a anunciada instalação de uma refinaria de petróleo em S. Vicente.
 Salienta o significado da visita do Sr. Presidente do Conselho a Cabo Verde.
 Subscreve a proposta de resolução da Assembleia relativa às contas da Junta do Crédito Público de 1969.
 Discute na generalidade a proposta e os projectos de lei de revisão constitucional.
 Subscreve uma série de propostas de alteração à Constituição apresentadas pela comissão eventual.
 Discute na especialidade o texto da comissão eventual referente à revisão constitucional.
 Subscreve, como membro da comissão eventual, várias propostas de alteração à proposta de lei sobre liberdade religiosa e discute na especialidade a referida proposta de lei.

3.ª Sessão Legislativa (1971-1972)
 Refere-se ao problema das secas de Cabo Verde e agradece Governo o subsídio concedido para fazer face às dificuldades da província.
 Requer informações relativas à possibilidade de provocação de chuva artificial em Cabo Verde.
 Requer informações acerca dos estudos do projecto do porto da Praia, Cabo Verde.
 Presta esclarecimentos acerca de um seu requerimento apresentado em sessão anterior relativo aos estudos sobre chuva artificial.
 Subscreve, com outros Deputados, várias propostas de alterações à proposta de lei de revisão da Lei Orgânica do Ultramar e discute na especialidade a mesma proposta de lei.

4.ª Sessão Legislativa (1972-1973)
 Subscreve, com outros Deputados, a lista dos três vice-presidentes e dos dois secretários.
 Refere-se aos problemas da fome e da seca em Cabo Verde.
 Agradece os sentimentos da Assembleia manifestados por ocasião da morte de seu filho.
 Subscreve as propostas de alteração à proposta de lei sobre o registo nacional de identificação apresentadas pela Comissão de Política e Administração-Geral e Local.
 Faz um aparte à intervenção do Sr. Salazar Leite acerca da seca em Cabo Verde.
 Subscreve, com outros Deputados, propostas de emenda e aditamento à proposta de lei sobre a intimidade da vida privada.
 Lembra, a propósito do recente aumento dos funcionários, a necessidade de idêntico benefício não demorar em ser extensivo às províncias ultramarinas, em especial a Cabo Verde.

9 comentários:

  1. Bento Levy poucos devem recordar este nome, mas era muito falado nos anos 70 (eu era ainda pequeno mas ouvia o seu nome com frequeência na rádio e nos jornais). Este senhor natural de Santiago tem muitos familiares em Cabo Verde.
    Com efeito falamos do senador Augusto Vera-Cruz, falamos do Dr. Adriano Duarte Silva, mas por vezes esquecemos a figura de Bento Levy, como os anteriores grande defensor dos interesses de Cabo Verde em Lisboa.
    Nos anos 70 houve muita propaganda contra esta gente, que muitos associam esteriitipadamente ao Estado Novo de Salazar, pensam que foram atirados para o lixo da história (desenganem-se). Lendo com atenção e sobretudo entrelinhas percebe-se melhor os discursos destes senhores (obviamente situando na época e na ideologia da altura) temos que reconhecer que lutaram muito pela causa de Cabo Verde em Lisboa, e que um punhado destes homens muitas vezes vale a casa cheia do parlamento caboverdiano.

    ResponderEliminar
  2. Tive o prazer de conhecer pessoalmente o Dr. Bento Levy que, aliás, foi quem me contratou, enquanto Director do Centro de Informação e Turismo, para fazer as reportagens da visita de Américo Thomaz a Cabo Verde, para o jornal O Arquipélago e para o Rádio Clube de Cabo Verde...
    Era um gentleman e um apaixonado pelo jornalismo e por Cabo Verde...

    ResponderEliminar
  3. Obrigada por relembrarem BENTO LEVY , meu amado PAI , de quem sempre tivemos , meu falecido irmão e eu ,muito orgulho . Meu PAI amou imensamente CABOVERDE e , pensem hoje o que quiserem , foi acérrimo defensor das necessidades dessas ilhas , não interessa o regime em que se vivia em Portugal ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas que excelente surpresa! Aqui o blogue Praia de Bote e o seu administrador dão sempre importância àqueles que amaram a amam e defenderam e defendem Cabo Verde, seja no tempo pré ou pós independência. Se não tivesse havido homens como Bento Levy, Cabo Verde teria sido um local muito mais difícil para os seus habitantes. Honra seja feita, portanto a esses que em Lisboa lutaram pela sua terra, procurando dar-lhe o que ela merecia.

      Fico muito satisfeito por ter aparecido e continue a participar neste canto das ilhas.
      Braça
      Djack

      Eliminar
  4. Este grande senhor da imprensa escrita, esteve sempre atento ao que de mais importante se passava à época aqui nas ilhas. De cada vez que folheio o antigo «Boletim Cabo Verde», à procura de dados fiáveis sobre matérias que me interessam quer sejam da Literatura ou da Cultura cabo-verdiana, venero a memória do Dr. Bento Levy, pela sua visão de longo alcance, em criar um tão
    prestigiado boletim numa época extremamente difícil para se conseguir algo similar no Arquipélago.
    Duzentos números, para aquele tempo, foi obra!
    Conseguiu-os ele com inteligência e subtileza, q.b. Obriga «PdB» por nos recordar, filhos ilustres de Cabo Verde.
    Abraços
    Ondina

    ResponderEliminar
  5. O dr. Bento Levy deve ser colocado no mesmo patamar que o Senador Augusto Vera Cruz e o Deputado Adriano Duarte Silva. Cmo sempre, em todo o lado, teve os detractores mas fez quanto pode com seriedade e quem discordou foi pela mesma razão dos seus predecessores; foi numa mà época. Sei que foi uma pessoa muito séria

    ResponderEliminar
  6. Penso que há um denominador comum no comportamento e na acção daqueles que no passado serviram ou representaram Cabo Verde: grande dedicação e empenho, por amor ao povo do território. Pode haver excepções, mas se as houve foram tão raras que delas não reza a História. Não conheci o Dr. Bento Levy senão de nome, mas ouvi sempre referências elogiosas sobre o seu desempenho.

    ResponderEliminar
  7. Voltei a estas páginas ....Obrigada a todos que souberam apreciar a vida profissional do meu pai ,
    Bento Levy , morreu com muita tristeza porque lhe disseram que a revista «Boletim de Cabo Verde» , que comia connosco à mesa , havia sido toda queimada ....Vim a saber que tal não aconteceu mas....ele já cá não estava ...

    ResponderEliminar