terça-feira, 17 de maio de 2016

[2181] "Chiquinho" prometido é "Chiquinho" devido... Neste caso, duas dívidas (ver post 2178)


Aqui estão a 2.ª e a 3.ª edições de "Chiquinho", de Baltasar Lopes, juntas, ao vivo e a cores... Para além da cor da capa, as diferenças são escassas, mas existem. Deixemos então aqui as ditas, para a história da "Bíblia" de Cabo Verde:

A 2.ª (1961, azul) tem capa baça, não plastificada - o reflexo que ali em cima se vê resulta do flash; a 3.ª (1970, verde) é plastificada e por isso é brilhante.

2
A 2.ª é um pouco menos espessa que a 3.ª, cerca de meio centímetro, devido ao facto de a gramagem do papel desta ser maior.

3
A 2.ª foi composta nas Oficinas Gráficas da Editoial Minerva, Rua da Alegria, 30, Lisboa; a 3.ª foi composta e impressa na Tipografia Guerra, Viseu.

4
O texto das badanas é o mesmo. Só que na 2.ª edição não é identificado mas na 3.ª ficamos a saber que é da autoria de Manuel Ferreira.





2 comentários:

  1. Obrigado por esta explicação, Dajck. Não tenho nenhuma edição. Já tive, nos anos sessenta. Só que o ter andado sempre com a casa às costas me fez perder algumas coisas. No ano passado, reli-o mas foi por requisição na biblioteca de Tomar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou contar-te por email como poderás arranjar um "Chiquinho" por pouquíssimo dinheiro, entre 5 e 10 euros, talvez até uma segunda edição.

      Braça chiquinhal,
      Djack

      Eliminar