quinta-feira, 30 de junho de 2016

[2243] Sucedem-se as notícias sobre o Mindelexit a que alguns chamam São Vicentexit...

Ver primeira abordagem, no Arrozcatum AQUI

Em seguida, o texto do insigne jornalista Djosa de nha Bia, colunista de "A Cagarra", diário de Santa Luzia:

A secessão do país em República de Santiago e República de São Vicente (esta, como cabeça e capital do novo país que também congregará as ilhas de Santo Antão, Santa Luzia, São Nicolau e Boavista) terá início no próximo São Silvestre. Entretanto, a sede da CIRSV (Comissão Instaladora da República de São Vicente) ficará em Queluz, num anexo do Palácio local. Zito Azevedo, conhecido radialista e proprietário do blogue internacional Arrozcatum foi já nomeado Alto Comissário para os assuntos da nova república, encontrando-se hoje a ser recebido pelo Presidente Obama em Washington. 

A RSV terá como prenda de nascimento oferecida pelos EUA uma frota constituída por um porta-aviões, cinco submarinos nucleares e dezoito fragatas, fora uma esquadra de 35 F16, tornando-se assim o país mais bem equipado da África Ocidental em termos de material pesado de guerra. O presidente Hollande, através do vice-cônsul Valdemar, já prometeu a instalação da maior fábrica de baguettes e croissants (a fundo perdido) da África a sul do Sara. Portugal também contribuirá com a construção de socalcos no Monte Cara para produção de vinho do porto que ali se designará como "Vinho Cara". Aveiro criará em Salamansa uma fábrica de ovos moles e Tomar instalará na Baía das Gatas uma filial da Pastelaria Estrelas de Tomar onde existirá uma linha de produção dos famosos doces "Beija-me Depressa". 

Consta que os povos da Brava e Fogo também se preparam para criar a sua república (República do Fogo Bravo) e que a ilha do Maio de igual modo deseja republicar-se, mudando o nome para Junho. Quando ao Sal, parece que a situação será diferente, pois a ilha deseja ser anexada pela Martinica. O caso mais dramático será o do Ilhéu dos Pássaros que destoa desta onda republicana, pois o faroleiro pretende tornar-se rei com o nome de Faroleiro I, monarca do Reino dos Pássaros.

Braça jornalística,

Djosa

Texto de Luiz Silva

O cabo-verdiano tem o hábito de brincar com tudo, pelo que é um povo de “espírito leve”, como se diz. Desta forma, o “Brexit” da Inglaterra não fugiu à regra e, por estas bandas, há quem se divirta a pedir  um referendo para que haja independência do Mindelo em relação à cidade da Praia, facto que está a ser alvo de brincadeira nas redes sociais.

O cartaz diz “Mindel Exit. Referendum to leave the Santiago Republic”, um tema com que se brinca, mas muitos são-vicentinos sentem que a ilha é preterida em relação a Santiago e que os maiores investimentos são direccionados para a capital do País. O PAICV  que o diga, uma vez que nas últimas eleições legislativas passou a ser a terceira força política na ilha de São Vicente. Todavia, existem promessas do novo Primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, que veste a camisola do MpD, e promete que irá governar para todo o País, sendo um dos lemas da sua campanha. Até lá, os internautas não perdem o bom humor nas redes sociais e analisam o impacto do “brexit” de São Vicente da ilha de Santiago.

No post, onde vários internautas reagem e brincam com o referendo, lê-se nos comentários: “Hahahahaha, povo criativo”, escreve a internauta que considera divertido e que o cabo-verdiano não pára de surpreender. Ainda se analisa a situação dos mindelenses que vivem em Santiago e Silva diz que a TACV não conseguiria dar vazão aos voos pelo que, à semelhança da Inglaterra, deve-se empatar até que seja aberta a nova companhia aérea, Binter. Outro internauta relembra que a “Praia ficaria vazia, visto que há muitos são-vicentinos emigrantes nas terras da Capital”. Com o “Brexit”, alguém alerta que depois não quer ver choro com a independência da ilha do Monte Cara.

A diversão continua e questiona-se sobre a moeda. Neste assunto, Brito acredita que “é largar o escudo pela cavalinha”, sendo São Vicente a ilha que promove o Festival da Kavala, porém, qualquer semelhança é pura coincidência, como diz o ditado popular. Falando em festival, Dave relembra o famoso Festival da Baía das Gatas que costuma atrair muitos estrangeiros e nacionais para a praia do Mindelo e diz que “depois veremos fila à porta do Consulado de São Vicente na Praia a pedirem vistos para o Festival da Baía das Gatas e também sem esquecer o Carnaval” que como canta Cesária Évora, “ São Vicente é um Brazilim”. Todavia, esse grãozinho de terra que também é conhecido como a ilha do Porto Grande, não consegue arrebatar os corações de todos e há quem escreva: “São Vicente sem o Carnaval, Festival e Final do Ano é parado paradinho, sem contar com um bocado de vento que se leva na cara”, mas gostos não se discutem e no post há gosto para tudo, os apaixonados por São Vicente e os indiferentes que não se deixaram conquistar pelo Monte Cara.

Recorda-se que o crioulo é detentor de uma grande criatividade, diz Ludmila que gostaria de aproveitar esse talento para produzir trabalhos na publicidade.

8 comentários:

  1. Felizmente resta-nos o nosso tradicional humor, este jeito peculiar, bem nosso, de ultrapassar as vicissitudes repetitivas. Se o mindelense brincou com o Hitler (entre outros) porque não havia de brincar com o Exit ?
    Garanto-vos uma coisa: - Se estivéssemos no tempo áureo dos teatros do Castilho essas reacções satânicas (até xenófobas) contra S.Vicente eram temas para arrancar a carapinha de muita alma de outro mundo.
    Podem ficar com o que é nosso, podem tentar destruir o que se fez há décadas, mas nunca matarão o nosso humor.

    ResponderEliminar
  2. Ao lado perguntei se não se enganaram de Blague!! Não Será referendo do SANTO_EXIT, pois a criação da República de Santiago já está a um fio ? Depois do Estatuto Especial, República de Santiago de facto, o que mais se espera?

    ResponderEliminar
  3. Ó Djosa de nha Bia, repórter da Praia de Bote, Tomar pode mandar os doces "Beija-me Depressa", sim senhor. Mas antes disso vai enviar 12 cavaleiros Templários para guardar a Igreja de Nossa Senhora da Luz e para afugentar tudo o que reza virado para Meca.

    ResponderEliminar
  4. Djosa, meu amigo, agradecia que me deixasse à margem das implicações políticas da nossa Santa Terra, pois a ultima vez que o tentei só consegui sete dias de reclusão e outros mimos, de todos conhecidos!
    Braça marginalizador,
    Zito

    ResponderEliminar
  5. Bem, o Djack queixa-se amiúde dos silenciosos, mas ele ás vezes não dá réplica. Ou será que se tem de pagar uns grogues ao Djosa para lhe soltar a língua?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha parte tem sido bem avantajada e generosa: dar posts à luz, mais de 2200 nestes cinco anos e tal. Cabe aos admiradores e visitantes do Pd'B fazer os gastos de comentário. Safaaaaaaaaaaaa, queriam que eu fizesse a festa e ainda por cima deitasse os foguetes? M'ca é Deus!!!

      Braça sempre a aviar,
      Djack

      Eliminar
    2. Não, Djack. Tem paciência, sempre que soltas e dás corda ao Djosa tens de levar a coisa um pouco mais além. Sabes que o Djosa não é de meias tintas. O gajo vai até ao fim, nem que tenha de ir passar a noite na staçom de pliça. Ele agora anda por aí a dizer que emancipação tem de implicar moeda própria. Qual Euro, qual carapuça! Qual Franco africano, qual carapuça! S. Vicente tem de ter a sua moeda! E não é que com essa boca já começou uma corrida aos bancos?

      Eliminar
    3. Mas isso já está tratado há que tempos. Andas mesmo desactualizado. Toda a gente já sabe que a moeda da nova República de São Vicente é o grog. Já há notas de 100g, 200g, 500g e 1000g há pelo menos 8 dias a circular no Mindelo. Por enquanto, a moeda é em "strelas", caricas da cerveja local mas já estão a ser feitas na Casa da Moeda de Portugal as novas moedas de plástico de 0,50, 1, 2, 5, 10 e 20 grogs. De facto, andas mesmo desactualizado. Ah!... Na nota de 500 grogs está a efígie do Djosa de nha Bia e na de 1000 a de Mari Salema...

      Blaça com tlim tlim,
      Djack

      Eliminar