sexta-feira, 1 de julho de 2016

[2244] Luís Morais e uma morna ao Dr. Fonseca

Uma capa a cruzar o crioulo Monte Cara com o poncho sul-americano, as mornas e as coladeras entrelaçadas com as cumbias e uma morna ao Dr. Fonseca, para mim particularmente saudoso por me ter "arranjado" um pé esquerdo quebrado em três dedos ao mesmo tempo, em maluqueiras de criança.



7 comentários:

  1. Grande artista Caboverdiano que levou a arte ao Mundo.
    Lembro-me em Dakar, quando começou a sobressair, era mesmo "O chefe dos mùùsicos caboverdianos", o que englobava todas as ilhas da nossa terra, embora no seu conjunto um so nado em Dakar (Jom da Lomba) com os mnis d'Soncente.
    Não poodemos esquecer o craque mesmo quando não ouvimos as suas gravações.
    Avé, Luiz !!!

    ResponderEliminar
  2. O Dr. Fonseca merece e muito. Grande cabo-verdiano! Curiosamente reparou-me também um pé, Djack. Aos 17 anos, parti um metatarso a jogar futebol e tive de andar com gesso algum tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu um metatarso, eu três, do pé esquerdo. Unidos pelos metatarsos e pelo Dr. Fonseca, isto é que é destino de mindelenses.

      Braça com pé de gesso,
      Djack

      Eliminar
  3. Também eu passei pelas mãos do Dr. Zizim para a ablação de um quisto sebàceo atràs duma orelha. Mas o que podia mais falar desse Grande Caboverdiano é mais pessoal porque era um grande amigo do meu pai (dizia o doutor que brincaram juntos de menino).
    Tive o prazer de receber os agradecimentos quando ele soube que tinha entregue ao Hospital um lote razoàvel de medicamentos recolhidos por meus amigos.
    Dr. José Duarte Fonseca é um dos injustiçados por quem devemos sempre lutar.

    ResponderEliminar
  4. Grande Luiz Morais: um self made man, um heroi, o homem que tantos nos encantou com a sua música

    ResponderEliminar
  5. Djack, obrigada por trazer à nossa lembrança o meu querido tio Zezinho! Irmão da minha mãe.
    A morna da autoria de JOTAMONT (Jorge Monteiro) entre nós, também conhecido por por Jorge Cornetim é de facto linda! A interpretação de L. Morais que ouvi há já décadas, é magnífica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele foi um dos grandes do Mindelo. Merecerá sempre ser recordado. Pela minha parte, fica esse agradecimento eterno pela forma eficientíssima como me tratou.

      Braça a vê-lo entrar e sair da sua casa da Praça Nova,
      Djack

      Eliminar