sábado, 2 de julho de 2016

[2247] "Ilhéu de Contenda" - Filme de Leão Lopes, baseado no romance homónimo de Teixeira de Sousa. Música de Manuel Paulo (ver também post 2245)

15 comentários:

  1. É simplesmente espectacular poder rever este filme. Graças ao Praia de Bote e ao Djack!
    Insisto na pergunta inserta no meu comentário relativo ao post 2245.

    ResponderEliminar
  2. Só consegui ver este filme porque o Dr. Teixeira de Sousa teve a gentileza de me emprestar a cassete de uma gravação.
    Também me ofereceu uma edição em língua francesa do romance.

    ResponderEliminar
  3. Djack, eu, Djosa de nha Bia, garanto-te que vi este filme no Eden Park, quando este existia. Só que nesse dia eu tinha bebido uns grogues a mais e não apanhei bem o enredo, até porque não conhecia o romance. Desta maneira, agradeço-te esta nova oportunidade de ver o filme.
    Mas confesso-te que prefiro ver umas cowboiadas do John Wayne e Gary Cooper.

    ResponderEliminar
  4. Djack e rapaziada do Praia de Bote, venho aqui protestar porque esse Adriano Lima usurpou o meu comentário. O gajo não tinha nada de meter o seu nome no comentário. E muito menos a sua fronha.

    ResponderEliminar
  5. Adeche, não aparecem comentários sobre este filme! Por onde andam o Valdemar, o Zito, o Luiz, o José? Não me digam que estão ainda a curtir a vitória da selecção portuguesa?

    ResponderEliminar
  6. Maria Beatriz Lima Barreiro2 de julho de 2016 às 12:49

    O meu avô Adriano Lima convidou-me a ver este filme e fez-me uma descrição sobre o mesmo. Prometo que o vou ver à tarde.

    ResponderEliminar
  7. Volto a perguntar ao editor deste blogue, conhecido entre os mindelenses por Dajck de Cuptania, se a minha crónica sobre este filme, datada de 2005, pode ser aqui publicada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A resposta está dada no post 2245 que é aquele em que fizeste a pergunta. E, como lá digo, arriscas é ficar pendurado da varanda de um sobrado...

      Braça com odor a café de Djarfogo.
      JS

      Eliminar
    2. Djack, a crónica é uma crítica ao filme, baseando-me no romance. Não me importo de ser pendurado, nem pouco mais ou menos. Até porque antes de mim já lá estará pendurado o autor do romance e o realizador do filme.
      Pergunto se envio o texto já ou só quando estiver mais "madurinho" o post mais recente.

      Eliminar
  8. Andei estes dias distriados e o Djack colocou uma fila inteira de posts, volto com esta surpresa Ilheu das Contendas.Acreditem que não vi este filme que muito gostaria de ver!

    ResponderEliminar
  9. Conheço bem o romance homónimo de Teixeira de Sousa, mas o filme não tive a oportunidade de o ver. Boa ideia a do Djack...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse um dos motivos de existência do Praia de Bote: desenterrar memórias de Cabo Verde. O filme aqui fica para quem as quiser ver desfilar.

      Braça de São Filipe,
      Djack

      Eliminar
  10. Não estou longe mesmo estando nos confins da Gaulia. Mesmo depois de Poitiers. Sabem. Ê que, asim mal comparado, estou mesmo no c... de Judas porque o centro do nosso Universo é Mindelo onde nascemos quase todos, todavia onde estudamos todos, onde aprendemos a bazofaria e a desenvolver a brejeirice que està no nosso ADN, que transmitimos aos irmãos ilhéus que quiseram (muitos não nos compreendem; paciência...).
    Não podia fazer comentàrio nenhum porque não vi o filme, não encontrei a K7 e ando a ver a contenda do djeu num mini aparelho ao contrario de quem tem super ecrans. Mas quando (e se...) for hão de ver. Não vos deixo ir a parte nenhuma sem mim. Metam isso na cabeça. S'il vous plaît !!!
    Espero encontrar-vos vivinhos para um ajuste de contas. As minhas armas serão pasteis com muita nata "pra cima e pia boche".
    Bôs hora pa bucis tude !!!

    ResponderEliminar
  11. Embora conhecendo o texto do livro de uma leitura que já tem barbas de profeta, fiz um primeiro visionamento das imagens, assim como quem faz uma leitura transversal...É dos livros que é mais difícil "pôr um livro em filme" do que enriquecer honestamente...Parece que se perde muito do perfume do texto de Teixeira de Sousa e alguns personagens sugerem algum desconforto nos seus fatos de época e numa história que é alheia à sua sensibilidade... Creio, no entanto, que o esforço é meritório e produto de uma iniciativa honesta...
    Braça cinéfilo
    Zito

    ResponderEliminar
  12. Hoje à tarde, revi o filme. Depois de ler o comentário do Zito, fico mais tranquilo e confiante na crítica cinematográfica que procurei fazer sobre o filme e que o Djack vai postar.

    ResponderEliminar