terça-feira, 2 de agosto de 2016

[2333] Cabo Verde, em princípio...

Muitos livros de Cabo Verde têm título começado por... Cabo Verde. Fui dar uma volta pelo registo informatizado da biblioteca cabo-verdiana cá de casa e encontrei nada menos que oito (pode haver mais, ainda não registados). Viva pois Cabo Verde... Mas há um que foi escrito por vários sports que costumam vir ao Pd'B. Qual é ele, qual é? Esta é fácil...


1973 – Cabo Verde 72, Ano Quinto de Seca – Händel de Oliveira
1995 – Cabo Verde, Retalhos do Quotidiano – João Lopes Filho
1999 – Cabo Verde, os Bazófios da Independência - António Caldeira Marques
1999 – Cabo Verde, Notas Atlânticas –  Jean-Yves Loude
2002 – Cabo Verde, os Bastidores da Independência – José Vicente Lopes
2003 – Cabo Verde, Viagem pela História das Ilhas – Germano Almeida
2012 – Cabo Verde, Terra de Morabeza – Luís António Faria e Suzana Abreu
2014 – Cabo Verde, os Caminhos da Regionalização – Vários autores

O campeão de páginas é o livro de José Vicente Lopes, com 729, e o mais magro o de Händel de Oliveira, com 228. 

3 comentários:

  1. O do Germano tenho-o. Dos outros gostaria de ler os que falam da independência, sobretudo o do Caldeira Marques, visto que deve desviar-se da narrativa oficial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um livro muito duro, de resposta ao "Cabo Verde, os Bastidores da Independência". Por isso se chama "Cabo Verde, os Bazófios da Independência"... Comprei-o no sítio mais inesperado, na papelaria do Café Central, de Almada, mal saiu.

      Braça com liberdade,
      Djack

      Eliminar
  2. So tenho dois deles. Se devesse escolher um, jà, escolheria os Bazôfios do Caldeira Marques. Tenho tanto interesse como tive para o livro de Armindo Ferreia. Quem ainda não leu està perdendo.

    ResponderEliminar