sábado, 13 de agosto de 2016

[2370] Tomar recebe exposição de Michel de nha Maninha

No sábado, 27 de Agosto, pelas 21h30, a galeria "Coronel", de Tomar, receberá uma exposição de Michel de nha Maninha, que hoje terá vernissage na cidade francesa de Tours. Esta mostra do artista de origem cabo-verdiana é esperada com enorme interesse na cidade dos Templários, bem como o discurso de apresentação que será proferido pelo crítico convidado, Adrilima. A mostra será acompanhada de um beberete onde não faltarão sucrinhas, pastilim, cuscuz, doce de papaia com queijo di terra e o inevitável grog de Sintanton. Eis alguns dos quadros que Michel pintou recentemente em Tomar e que farão parte da exibição. Veja também o post anterior.

Portail d'Église, Tomar
La Fenêtre
Le Chevalier 

5 comentários:

  1. Assim se cumpriu, o que uma vez mais prova que os templários estão vivinhos da silva. E não é que o Michel de nha Maninha teve as honras da guarda de um esquadrão de templários? O povo ficou boquiaberto perante o que parecia ser algo retirado do tempo. Nunca se vira oisa igual na cidade. Mais ainda quando viram que todo aquele aparato foi por causa de um pintor que ninguém conhece.
    Mas tudo ficou esclarecido quando, do alto da varanda dos Paços do Concelho, fiz uso da palavra e apresentei o artista. Mas a confusão armou-se quando alguém, no meio da multidão, gritou que Gualdim Pais estava entre os soldados templários. Foi tudo uma alucinação provocada pelo calor que se fez sentir na cidade,

    ResponderEliminar
  2. Mas a história ainda não acabou. Terminada a exposição, apareceu o historiador Jacques de Almada a pedir um relatório dos acontecimentos. Só que nessa altura ouviu-se uma voz vinda do Além. Dizia assim: - Não há relatórios, não há testemunhos, não há a mínima palavra sobre o que se passou hoje aqui! Dizem que era o Jacques de Molay, o último grão-mestre dos Templários. E não houve quem o contrariasse porque ainda está na memória colectiva a maldição que proferiu, quando era supliciado na fogueira, contra os que o condenaram: Felipe, o Belo, e Papa Clemente v. Pois, eles haveriam de morrer antes de um ano. E então os tomarenses que pejavam a Praça da República não tugiram nem mugiram.

    ResponderEliminar
  3. O pintor tem classe, a qual se descortina através dos três exemplos apresentados. A Galeria Coronel, também, pois é governada por mão castrense que sabe o que faz. Agora essa de o Gualdim Pais ter retornado à vida e dizerem que ele sabe da caverna onde está guardado o tesouro dos Templários, nessa eu não acredito. Parece coisa de Djosa de nha Bia. Contudo, em Tomar, tudo é possível...

    Braça nabantina,
    Djack

    ResponderEliminar
  4. Sim, Jacques de Almada, nesta zona de Tomar acontecem coisas estranhas. Mas o Michel de nha Maninha ficou com uma fama do caraças, a ponto de causar ciumeira a um antigo jogador de futebol, também de origem cabo-verdiana, residente na cidade há 54 anos, ídolo que foi do União de Tomar dos anos sessenta e princípios de setenta.
    Mas que os templários andem por aí em cavalgadas nocturnas a horas impróprias da noite, já estamos habituados a isso. E D. Gualdim todas as noites exibe as suas "virtudes masculinas" na Praça da República.

    ResponderEliminar
  5. Para lá de todas as "estórias" mais ou menos históricas, permitam-me que fale do pintor; gostei do traço e da cor...Este filhote de nha Maninha vai longe!
    Braça verde garrafa,
    Zito

    ResponderEliminar