sábado, 20 de agosto de 2016

[2396] Continua a aventura do professor Piccard em Cabo Verde (ver post 2390)

Ver post 2390 AQUI e batíscafo AQUI

"Diário Popular", 19.Outubro.1948, p. 1

A MARAVILHOSA AVENTURA. RETIDO EM DACAR POR MOTIVO DE DOENÇA DO PROFESSOR COSYNS, O "SCALDIS" PARTE AMANHÃ PARA CABO VERDE – Notícia proveniente de Dacar

Piccard e o prof. Tournesol (Hergé) inspirado em si
O professor Cosyns encontra-se de cama em consequência de um ataque de febre. Havia já algum tempo que o colaborador de Piccard estava fatigado pelo esforço despendido em dias e noites consecutivos de trabalho no porão do "Scaldis", onde regulava os múltiplos instrumentos do batíscafo, os tubos de Geiger-Muller que assinalam a presença dos raios cósmicos, as ligações de determinados comandos eléctricos, a colocação das vigias e uma imensidade de pormenores delicados cujo acabamento só podia fazer-se a poucos dias das experiências.

Além desse excesso de trabalho, que diariamente produzia os seus efeitos, o professor Cosyns sofreu um resfriamento numa noite em que o temporal o acordou e foi a correr desde a sua residência, no alto da cidade, até ao porto, a fim de ver se os tubos de Geiger-Muller em que trabalhara nesse dia não estavam à chuva. Embora com o vestuário encharcado, o professor Cosyns não resistiu à tentação de consagrar, com Luis Ockum, mais algumas horas à montagem deste importante instrumento e só foi repousar para o seu beliche do "Scaldis" às quatro da madrugada. Ao excesso de fadiga e ao resfriamento juntou-se a complicação de uma crise nervosa acompanhada de muita febre. Não se podia pensar em levar o doente a bordo do «Scaldis», cuja partida estava marcada para o dia 8 e também não era possível seguir viagem sem ele: a sua contribuição era tão importante que as experiências não podiam realizar-se na sua ausência. É esse o motivo por que a partida para as paragens de Cabo Verde, onde terão lugar todas as descidas do batíscafo, foi retardada até ao restabelecimento de Cosyns. (…) No entanto, este atraso não significa perda de tempo. Os dias de espera em Dacar foram utilizados pelos membros da expedição, Marlier e Van Den Eeckhoudt, para caçarem insectos na savana ou ainda para estudo das colecções do Instituto Francês da África do Norte.

Na piscina do Lido, o professor Piccard, acompanhado pelo seu filho e outros membros da expedição, aprendeu a servir-se do escafandro autónomo Cousteau-Gagnan, cujo funcionamento lhe foi explicado pelo comandante Filipe Tailez, chefe do grupo de investigações submarinas. O mergulhador Dumas e os marinheiros do "Ellie Monnier" foram os professores benévolos dos alunos aplicados do "Scaldis" que esperam assim ter ocasião de ver evolucionar o batíscafo a pouca profundidade, nas águas límpidas do arquipélago português. (…)

1 comentário:

  1. Poucos são os que comprendem e comparem as estôrias do Hergé com a realidade.
    Outra série que muito recomendo aos meus amigos é a do Astérix e seus companheiros. Isso não é so para as crianças; é mais para os grandes.

    ResponderEliminar