segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

[2818] E Soncente urbano

2 comentários:

  1. Antes de mais, gostei de ver a vereadora do pelouro social, pois é minha sobrinha. Falei bastante com ela em 2015 sobre os problemas sociais na nossa ilha.
    O problema das casas clandestinas é bicudo. Claro que o Estado não pode garantir casa para todos, pois a terra é pobre e não tem dinheiro. Nem mesmo nos países ricos isso é possível. Este problema das barracas nas cercanias da cidade deve-se às gentes que demandam S. Vicente à cata de trabalho. O começo da solução será quando S. Antão se desenvolver um pouco mais para poder recuperar parte da sua população evadida.

    ResponderEliminar
  2. Este caso é verdadeiramente bicudo. Prefiro re-ver e nada acrescentar senão que a bagunça se multiplica porque a Cämara permite.

    ResponderEliminar