quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

[2854] Ele não era só romancista...

Sim, já o sabemos, Teixeira de Sousa também era médico. E conseguiu conciliar o estetoscópio com as teclas da máquina de escrever, como poucos, como um Namora, como um Torga, por exemplo. E ainda foi autarca, e bom, para desanuviar.

Em 1 de Maio de 1957, que fez ele? Uma palestra no são-vicentino Liceu Gil Eanes, sobre alimentação e saúde nas ilhas da sua terra. Era então médico-adjunto da Missão Permanente de Estudo e Combate de Endemias em Cabo Verde e Presidente da Comissão Provincial de Nutrição.

Acaba assim a saborosíssima obra que fala de milho e de feijão, entre muitas outras coisas: 

Ora, o nosso objectivo positivo deve ser o de criar condições de vida necessárias para a população em crescimento normal e fisiológico. Temos de defender a terra de molde  a evitar o êxodo cabo-verdiano para longe do seu meio legítimo porque, como disse algures um chefe indígen africano, "a terra do nosso país pertence a um grupo de homens dos quais muitos já morreram, alguns estão vivos e a maioria está por nascer."

Tem o opúsculo 20 páginas, foi obra das Edições Propaganda, de Cabo Verde e... é de ler!

3 comentários:

  1. Depois do consulado fecundo de Jùlio Bento de Oliveira na Câmara do Mindelo, por mim, Dr. Teixeira de Sousa foi o maior.
    Havia nesses dois Edis o desejo de cumprir, de fazer o mais possivel para o povo carenciado.
    O primeiro era um "batisseur" e, quando comprou os motores Fairbank's, nem sequer pediu a ajuda de engenheiros para a montagem dos motores. O senhor Presidente começava a trabalhar no Municipio depois das 16 horas, quando deixava o seu trabalho na Western.
    O clinico, fez tudo quanto era estudo para ser ùtil à terra onde nasceu e um dos seus cursos, depois de Medecina tropical, o Nutricionismo.
    Aqui, nomeadamente nesta cidade onde vivo, cada Presidente tem o seu nome na toponimia. Que eu saiba (peço desculpa se me engano) ninguém se lembrou destes dois incansàveis tranalhadores.

    "La plupart oublient tout, excepté d'être ingrat"

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo, com emoção, o comentário do Val. Nada que acrescente conseguirá amplificar o seu sentido ou dourar o testemunho produzido.

    ResponderEliminar
  3. De acordo com o Valdemar. O perfil de Teixeira de Sousa é multifacetado. Médico de boa prática, contista e romancista e alto gabarito, Crítico e analista cultural, social e literário. Isto, apenas para acrescentar ao que aqui foi dito pelo Valdemar. Enfim, uma riqueza de qualidades e de atributos que merecia ser muito mais reconhecido entre nós do que o que tem sido até hoje. Nunca é tarde Val! Pode ser que o apelo seja bem escutado.

    ResponderEliminar