domingo, 18 de fevereiro de 2018

[3543] O derradeiro recrutamento de soldados naturais de Cabo Verde para o Exército Português

Os rapazes tinham ido para a tropa em tempo português. Agora estava a chegar um tempo cabo-verdiano. Também eles se situavam num difícil dilema, encravados entre duas bandeiras. Que resposta terão dado a este comunicado, não o sabemos. Quantos terão escolhido a opção 1? Quantos terão acertado o diapasão pela 2? Também não. Enfim, ambas eram possíveis, ambas eram acertadas. Que tenham escolhido a melhor. Outros tempos...

4 comentários:

  1. Eu me recordo de a 1ª incorporarão logo após ao 25 de Abril de 1974, que em plena cerimonia de formatura para juramento no Quartel de Morro Branco algumas recrutas da ilha negaram jurar a bandeira Portuguesa. Foi o resultado do trabalho político do P A I G C em São Vicente na altura.
    Dizem que foi gerado uma grande confusão com algumas recrutas a esconder pelas rochas, outras pelo mar na tentativa de esconder dos tiros e outras perseguições que foram sujeitos. Felizmente ouve um bom senso e tudo terminou sem incidentes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Zeca,

      Deve ter sido uma situação bem difícil, de parte a parte. Mas é como dizes, o bom senso venceu.

      Braça à Morro Branco,
      Djack

      Eliminar
  2. Já conhecia estes incidentes ocorridos no Morro Branco, mas este documento do delegado da JSN não.

    ResponderEliminar
  3. Este incidente foi um grande 'quid pro quo', ainda hoje continua por ser esclarecido.

    ResponderEliminar